· Cidade do Vaticano ·

O xamã adoeceu?

cq5dam.thumbnail.cropped.500.281.jpeg
03 novembro 2021
Estreitos por um assédio que se faz cada vez mais feroz (em agosto a floresta perdeu mais 1.606 km2, cinco vezes o tamanho de Belo Horizonte, enquanto que do Estado de Roraima chegam notícias de ataques, até de helicóptero, por parte dos garimpeiros — procuradores de ouro — às aldeias), os índios amazónicos organizam a sua resistência pacífica pedindo o respeito pelos próprios direitos e da integridade da floresta, apoiados por uma rede crescente de associações sociais e culturais, das quais a Igreja é parte fundamental. A resistência desenvolve-se em volta da defesa da própria identidade cultural que, de muitos quadrantes, exige o início de um diálogo entre os diferentes grupos étnicos — um facto totalmente ...

Este conteúdo é reservado aos Assinantes

paywall-offer
Estimada Leitora, querido Leitor,
la leitura de L’Osservatore Romano em todas as suas edições é reservada aos Assinantes

Ao fazer a assinatura até 30 de Novembro poderá usufruir do preço promocional de 20 euros por ano.