Missa do Pontífice por Myanmar

Artífices de paz onde há guerra, violência e ódio

cq5dam.thumbnail.cropped.500.281.jpeg
18 maio 2021

«Hoje quis trazer ao altar do Senhor os sofrimentos do povo de Myanmar e rezar para que Deus converta os corações de todos à paz. Não percais a esperança: Jesus reza ao Pai e intercede por nós, para que nos proteja do maligno e nos liberte do poder do mal». Com um tweet na conta @Pontifex, o Papa resumiu o significado da Missa pela paz e a reconciliação no país asiático celebrada na manhã de domingo, 16 de maio, no altar da Cátedra na Basílica do Vaticano.

Na presença de sacerdotes, religiosas e fiéis da comunidade de Myanmar residentes em Roma, o rito foi ritmado por leituras em birmanês. Na sua homilia, Francisco exortou as pessoas a aprender «com a oração de Jesus a passar pelos momentos dramáticos e dolorosos da vida», como os que está a viver o povo do país asiático no contexto atual «marcado por violência, conflito e repressão». Baseando-se no Evangelho do dia, o bispo de Roma insistiu particularmente num verbo, aprofundando três aspetos do mesmo, a saber: manter a fé, a unidade, a verdade.

Homilia do Papa