O Papa concluiu o encontro online «The Economy of Francesco» e confiou à juventude de Lisboa a Cruz da Jmj 2023

cq5dam.thumbnail.cropped.500.281.jpeg
24 novembro 2020

«Ou estais envolvidos ou a história passará por cima de vós». O Papa não usa meios-termos para dirigir o apelo aos jovens, a fim de que sejam artífices do presente e do futuro da sociedade e da Igreja. Protagonistas de dois encontros com o Pontífice os jovens do mundo inteiro ouviram a sua mensagem em vídeo na tarde de 21 de novembro, por ocasião do evento internacional online «The Economy of Francesco» e, no domingo, uniram-se aos seus coetâneos do Panamá, que na basílica de São Pedro, na presença do bispo de Roma, entregaram aos  de Lisboa a cruz e o ícone mariano, símbolos da Jmj, em vista do  encontro internacional agendado na capital portuguesa em 2023. Um encontro aguardado ansiosamente, adiado por um ano devido à pandemia, que em março já tinha causado o adiamento do encontro marcado em Assis com economistas, empresários, trabalhadores e dirigentes empresariais “under 35”. Sem desanimar, os organizadores repensaram a sua fórmula e assim, de 19 a 21 de novembro, centenas de milhares de jovens de 115 nações ligaram-se com a cidadela franciscana para receber o testemunho do Papa, conscientes de que «as consequências das nossas ações e decisões afetarão» precisamente os jovens, que por isso não podem «permanecer fora dos lugares» decisórios. «É tempo — disse-lhes — de ousar o risco de fomentar e estimular modelos de desenvolvimento, progresso e sustentabilidade em que as pessoas, e especialmente os excluídos, deixem de ser uma presença meramente nominal». Palavras que parecem ressoar nas que pronunciou na homilia dominical, com a exortação a não renunciar «aos grandes sonhos», a não se contentar «com o que é devido», pois «o Senhor não nos quer estacionados nas margens da vida».