Mãos estendidas com generosidade para responder ao brado dos mais necessitados

cq5dam.thumbnail.cropped.500.281.jpeg

Na mensagem para o Dia mundial dos pobres o Papa elogia quem durante a pandemia desafia o contágio para ajudar o próximo

16 junho 2020

«Estende a tua mão aos pobres»: é tirado do antigo livro de Ben Sira (7, 32) o tema escolhido pelo Papa Francisco para o próximo Dia Mundial dos Pobres, a celebrar no domingo, 15 de novembro. E a imagem da «mão estendida» é também o leitmotiv da mensagem de preparação para o Dia, escrita pelo Pontífice na memória litúrgica de Santo António de Lisboa, padroeiro dos pobres.

O texto do Papa foi apresentado na manhã de 13 de junho ao vivo na Sala de imprensa da Santa Sé pelo Arcebispo Rino Fisischella, presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização, organizador do Jubileu da Misericórdia, do qual surgiu esta iniciativa, agora na sua quarta edição. Parte do pressuposto de que «a oração a Deus e a solidariedade com o sofrimento são inseparáveis»: por esta razão «o tempo para dedicar à oração nunca pode tornar-se uma desculpa para negligenciar o próximo em dificuldade». Embora «o contrário seja verdade», isto é, que «a oração alcança o seu objetivo» quando é acompanhada «pelo serviço aos pobres».