O Papa recordou que a entrega da Cruz aos jovens de Lisboa será a 22 de novembro próximo

Uma Jornada mundial da juventude inédita

cq5dam.thumbnail.cropped.500.281.jpeg
07 abril 2020

No final da celebração da missa de Domingo de Ramos, na basílica de São Pedro, antes da bênção, Francisco guiou a prece do Angelus, com um encorajamento às pessoas doentes e a quantos delas cuidam. E  dirigiu uma saudação especial aos jovens, recordando que o gesto simbólico da entrega da Cruz  das Jornadas mundiais da juventude entre Panamá e Lisboa será a 22 de novembro próximo.

Amados irmãos e irmãs,

 Antes de concluir esta celebração, gostaria de saudar todos aqueles que participaram através dos meios de comunicação social. Em particular, o meu pensamento vai para os jovens de todo o mundo, que vivem hoje a Jornada Mundial da Juventude de uma forma nova, a nível diocesano. Hoje estava prevista a entrega da Cruz dos jovens de Panamá para os de Lisboa. Este gesto evocativo é adiado para o Domingo de Cristo Rei, 22 de Novembro próximo. Esperando esse momento, exorto-vos, jovens, a cultivar e a dar testemunho da esperança, da generosidade e da solidariedade de que todos nós precisamos neste momento difícil.

 Amanhã, 6 de Abril, é o Dia Mundial do Desporto pela Paz e pelo Desenvolvimento, proclamado pelas Nações Unidas. Durante este período, muitos eventos são suspensos, mas sobressaem os  frutos  melhores do desporto: resistência, espírito de equipe, fraternidade, dar o melhor de si... Portanto, promovamos o desporto pela paz e pelo desenvolvimento.

 Caríssimos, encaminhemo-nos com fé pela Semana Santa, na qual Jesus sofre, morre e ressuscita. As pessoas e as famílias que não poderão participar nas celebrações litúrgicas são convidadas a reunir-se em oração em casa, ajudadas também por meios tecnológicos. Abracemos espiritualmente os doentes, as suas famílias e aqueles que cuidam deles com tanta abnegação; rezemos pelos defuntos à luz da fé pascal. Cada um está presente no nosso coração, na nossa recordação, na nossa oração.

 De Maria aprendamos o silêncio interior, o olhar do coração, a fé amorosa para seguir Jesus no caminho da cruz, que conduz à glória da Ressurreição. Ela caminha connosco e ampara a nossa esperança.