· Cidade do Vaticano ·

Uma Jornada mundial da juventude inédita

cq5dam.thumbnail.cropped.500.281.jpeg

O Papa recordou que a entrega da Cruz aos jovens de Lisboa será a 22 de novembro próximo

07 abril 2020

No final da celebração da missa de Domingo de Ramos, na basílica de São Pedro, antes da bênção, Francisco guiou a prece do Angelus, com um encorajamento às pessoas doentes e a quantos delas cuidam. E  dirigiu uma saudação especial aos jovens, recordando que o gesto simbólico da entrega da Cruz  das Jornadas mundiais da juventude entre Panamá e Lisboa será a 22 de novembro próximo.

Amados irmãos e irmãs,

 Antes de concluir esta celebração, gostaria de saudar todos aqueles que participaram através dos meios de comunicação social. Em particular, o meu pensamento vai para os jovens de todo o mundo, que vivem hoje a Jornada Mundial da Juventude de uma forma nova, a nível diocesano. Hoje estava prevista a entrega da Cruz dos jovens de Panamá para os de Lisboa. Este gesto evocativo é adiado para o Domingo de Cristo Rei, 22 de Novembro próximo. Esperando esse momento, exorto-vos, jovens, a cultivar e a dar testemunho da esperança, da generosidade e da solidariedade de que todos nós precisamos neste momento difícil.

 Amanhã, 6 de Abril, é o Dia Mundial do Desporto pela Paz e pelo Desenvolvimento, proclamado pelas Nações Unidas. Durante este período, muitos eventos são suspensos, mas sobressaem os  frutos  melhores do desporto: resistência, espírito de equipe, fraternidade, dar o melhor de si... Portanto, promovamos o desporto pela paz e pelo desenvolvimento.

 Caríssimos, encaminhemo-nos com fé pela Semana Santa, na qual Jesus sofre, morre e ressuscita. As pessoas e as famílias que não poderão participar nas celebrações litúrgicas são convidadas a reunir-se em oração em casa, ajudadas também por meios tecnológicos. Abracemos espiritualmente os doentes, as suas famílias e aqueles que cuidam deles com tanta abnegação; rezemos pelos defuntos à luz da fé pascal. Cada um está presente no nosso coração, na nossa recordação, na nossa oração.

 De Maria aprendamos o silêncio interior, o olhar do coração, a fé amorosa para seguir Jesus no caminho da cruz, que conduz à glória da Ressurreição. Ela caminha connosco e ampara a nossa esperança.