· Cidade do Vaticano ·

O toque dos sinos

cq5dam.thumbnail.cropped.500.281.jpeg
03 novembro 2021

Os dois sinos “batizados” com o nome «A voz dos nascituros», que o Papa Francisco benzeu e tocou na manhã de 26 de outubro, antes de entrar na sala Paulo vi para a audiência geral, serão ouvidos pelas populações de Lviv, na Ucrânia, e de Guayaquil, no Equador.

Realizados por iniciativa da fundação polaca «Sim à vida», representam uma cópia exata do sino que o próprio Pontífice benzeu em 23 de setembro de 2020. Os sinos acompanharão as iniciativas promovidas para defender a vida.

Nos sinos — que pesam uma tonelada — foi gravada a imagem de uma ecografia e nas tábuas dos mandamentos destaca-se o quinto: «Não matarás». Significativamente, o sino foi decorado com uma referência ao Adn, o código genético entrelaçado da mãe e do pai de cada criança.

O arcebispo de Lviv, D. Mieczyław Mokrzycki, recordou que o sino será colocado no centro pastoral intitulado a São João Paulo ii «e acompanhará os encontros para a vida nas dioceses de toda a Ucrânia», onde «a ferida do aborto está viva».

A “versão” do sino para o Equador — «Voz de los no nacidos», com as inscrições gravadas em espanhol — reforçará o compromisso do «povo de Deus no campo da defesa da vida desde a conceção até à morte natural como prioridade no projeto pastoral de evangelização», disse o arcebispo de Guayaquil, D. Luis Gerardo Cabrera Herrera, denunciando o avanço da «cultura da morte».

Antes da audiência geral, o Papa benzeu também vinte e sete sinos para a igreja de «Santa Maria Reina de la Familia» na Cidade de Guatemala, que em breve será consagrada, explicou o reitor, cuja pedra fundamental foi benzida pelo Pontífice a 21 de junho de 2017.