· Cidade do Vaticano ·

Cartas da Amazónia

O grito da floresta

cq5dam.thumbnail.cropped.500.281.jpeg
24 agosto 2021
A canoa desliza lentamente sobre as águas verdes do Rio Jaquarequara, num ponto de floresta virgem, a cerca de cinquenta km de Belém, capital da Amazónia oriental. O silêncio é tão profundo como as águas do rio, que serpenteia como uma sucuri através da floresta incrivelmente compacta, húmida e deslumbrante. As árvores são plantadas diretamente na água, troncos muito altos com raízes monumentais à vista, esculpidas de mil maneiras diferentes, que brotam repentinamente diante de cada curva, e às quais se entrelaçam miríades de palmeiras ágeis que se estendem até ao centro do rio. E na outra margem, um tapete compacto que treme sobre as águas com as suas grandes folhas de esmeralda e com flores de cores ...

Este conteúdo é reservado aos Assinantes

paywall-offer
Estimada Leitora, querido Leitor,
la leitura de L’Osservatore Romano em todas as suas edições é reservada aos Assinantes
Assine até 30 de setembro e poderá usufruir do preço promocional de €20 anuais