· Cidade do Vaticano ·

Escola de acolhimento

cq5dam.thumbnail.cropped.500.281.jpeg
24 agosto 2021
«Uma grande escola de acolhimento», em particular para os migrantes: assim foi definido o apostolado dos Missionários de São Carlos (scalabrinianos), que este ano celebram o cinquentenário da sua presença em Portugal. Uma história que encontra as suas origens numa carta enviada em 1968 pelo padre Antonio Rodrigues, responsável pelas migrações, ao superior-geral da congregação na Itália: «Pensei que a congregação dos padres scalabrinianos pudesse ser uma ajuda preciosa na ação apostólica a favor dos emigrantes na Igreja do meu país, pobre em clero». E assim, três anos mais tarde, os primeiros religiosos desembarcaram em Amora, distrito do município do Seixal, na diocese de ...

Este conteúdo é reservado aos Assinantes

paywall-offer
Estimada Leitora, querido Leitor,
la leitura de L’Osservatore Romano em todas as suas edições é reservada aos Assinantes
Assine até 30 de setembro e poderá usufruir do preço promocional de €20 anuais