· Cidade do Vaticano ·

O Cardeal prefeito do Dicastério para os leigos, a família e a vida apresentou a mensagem do Para para o dia mundial dos avós e dos idosos

Para voltar a aprender a arte das relações entre as gerações

cq5dam.thumbnail.cropped.500.281.jpeg
30 junho 2021

«Na sociedade dilacerada e endurecida que sai da pandemia, não há necessidade apenas de vacinas e de retomada da economia, embora sejam fundamentais, mas de voltar a aprender a arte das relações: nisto os avós e os idosos podem ser os nossos mestres e, também por isso, são tão importantes». O cardeal Kevin Farrell, prefeito do Dicastério para os leigos, a família e a vida, abordou diretamente a questão tomando a palavra a 22 de junho, na apresentação do primeiro Dia mundial dos avós e dos idosos — previsto para domingo 25 de julho — e da Mensagem preparada pelo Papa para essa ocasião. E precisamente a 25 de julho, às 10 horas, Francisco celebrará a missa em São Pedro.

A conferência teve lugar em streaming da sala de imprensa da Santa Sé. «Estou convosco todos os dias» (Mt 28, 20) é o tema do Dia, ligado à celebração litúrgica dos Santos Joaquim e Ana que, disse o purpurado, «é uma festa: sentíamos a necessidade dela, depois de um ano tão difícil é realmente preciso festejar, avós e netos, jovens e idosos».

Trata-se de «uma nova página que se abre, depois de meses dramáticos de dificuldade. E no entanto, muitos idosos teriam o direito de se queixar do modo como foram tratados — ou maltratados — nestes meses de pandemia. Mas a Igreja convida-nos a dar um passo em frente e fala-nos de ternura. Ternura pelos idosos pois, como o Santo Padre recorda na mensagem, o coronavírus “reservou-lhes um tratamento mais duro”».

Exatamente por isso, insistiu o cardeal Farrell, «o Papa espera a visita de um anjo que desça para consolar os idosos na solidão, imaginando que este anjo possa ter o semblante de um jovem que, precisamente, visita uma pessoa idosa». Por outro lado, «o Dia fala também da ternura dos avós pelos netos, do guia seguro que os idosos podem ser para muitos jovens desorientados, especialmente numa época como a que vivemos, em que os relacionamentos humanos são rarefeitos», disse o prefeito.

«Portanto, a ternura tem um valor social, que o Dia quer afirmar». E «a mensagem do Papa é afetuosa e ao mesmo tempo exigente em relação aos avós e aos idosos. O Santo Padre dirige-lhes palavras carinhosas, anunciando também uma chamada a «uma renovada vocação num momento crucial da história». Três elementos distinguem esta chamada: “os sonhos, a memória e a oração”».

«Na Igreja, com Francisco, os avós e os idosos ocupam um lugar de honra, e o Dia que celebramos tenciona reafirmá-lo», insistiu o cardeal Farrell. «Na pastoral, cada uma das nossas comunidades é convidada a não considerar os idosos como clientes dos nossos serviços sociais, mas a ver neles também os protagonistas dos nossos programas e a valorizar a sua espiritualidade. Colocar no centro os avós e os idosos, apreender o valor da sua presença é, além disso, a única alternativa real à cultura do descarte. O oposto do descarte não são apenas as obras de caridade, por mais necessárias que sejam, mas a atenção pastoral, na consciência do valor que representam para as famílias, a Igreja e a sociedade».

Depois, o prefeito do Dicastério para os leigos, a família e a vida sugeriu uma reflexão sobre a «sabedoria dos idosos, um tema apreciado pelo Papa», que realça precisamente a sua experiência, «a sabedoria de muitos anos de vida».

«Nesta ótica, os idosos são um grande recurso para sair da crise, melhores e não piores», explicou o cardeal Farrell. «Sobretudo para nos ajudar a compreender que o que vivemos não é a primeira crise, nem será a última, e que as vicissitudes dos homens são inseridas numa história que os transcende. Na mensagem, o Papa diz a cada idoso: “É necessário que também tu testemunhes a possibilidade de sair renovado de uma experiência dolorosa” e cita como exemplo a experiência da guerra».

«Não desprezar a geração idosa significa não ser esmagado pelo presente», concluiu o cardeal. E «os obstáculos que hoje vivemos, e que parecem insuperáveis, adquirem as proporções certas se forem vistos na ótica do longo prazo. É neste sentido que a experiência dos idosos pode ajudar os jovens: ajudá-los a ler a própria vida de maneira mais desapegada e realista, com a necessária prudência para fazer boas escolhas. Quantas vezes um avô ajudou um neto a compreender que uma desilusão aparentemente grande era um novo caminho que o Senhor traçava sob os seus passos?».

Vittorio Scelzo, responsável pela pastoral dos idosos no âmbito do Dicastério, anunciou que no website www.amorislaetitia.va já se podem encontrar sugestões e material para viver melhor a experiência deste Dia.

Em ligação de Estrasburgo, Monique Bodhuin, presidente de “Vie Montante Internationale”, propôs que se instituam «estruturas de formação para viver melhor a arte de ser avô ou simplesmente idoso: o desafio é ser autêntico “transmissor e despertador da fé”». Mas também «estruturas transversais, onde idosos e jovens se encontrem para intercâmbios sinceros sobre a “arte de viver”, a respeito da qual os idosos têm muito a dizer, mas também a propósito do desejo que cada jovem tem em si, de construir esta aliança entre jovens e idosos que o Papa Francisco pede».

Concluindo, Maria Sofia Soli, em nome de “Viva os idosos”, e Elena Liotta, dando voz a “Jovens pela paz” — ambas expressões da Comunidade de Santo Egídio — partilharam as suas experiências concretas de encontro entre as gerações, indicando assim um modelo simples, muito prático e possível para todos, a fim de relançar as relações entre as gerações.


Com um decreto da Penitenciaria Apostólica

Concedida a indulgência a quem participar nas celebrações de 25 de julho


Publicamos a seguir o texto do Decreto da Penitenciaria Apostólica, relativo à concessão da Indulgência por ocasião do Dia mundial dos avós e dos idosos.

Prot. N. 757/21/1

DECRETO

A Penitenciária Apostólica, para aumentar a devoção entre os fiéis e para a salvação das almas, em virtude das faculdades a ela atribuídas pelo Sumo Pontífice Francisco, Papa pela Providência Divina, atendendo ao recente pedido apresentado pelo Eminentíssimo Senhor Cardeal da Santa Igreja Romana Kevin Joseph Farrell, Prefeito do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida, por  ocasião do Primeiro Dia Mundial dos Avós e dos Idosos, instituído recentemente pelo Sumo Pontífice para o quarto domingo do mês de julho, concede benignamente dos tesouros celestes da Igreja a Indulgência Plenária, sob as habituais condições (confissão sacramental, comunhão eucarística e oração segundo as intenções do Sumo Pontífice), aos avós, aos idosos e a todos os fiéis que, motivados por um autêntico espírito de penitência e caridade, participarem no dia 25 de julho de 2021, por ocasião do Primeiro Dia Mundial dos Avós e dos Idosos, na solene celebração que o Santíssimo Padre Francisco presidirá na Basílica Papal do Vaticano ou nas várias funções que ocorrerão em todo o mundo, os quais poderão aplicá-la também em sufrágio das almas do Purgatório.

Este Tribunal da Misericórdia concede igualmente a Indulgência Plenária nesse mesmo dia aos fiéis que dedicarem côngruo tempo para visitar real ou virtualmente os irmãos idosos necessitados ou em dificuldade (como os doentes, os abandonados, os deficientes e semelhantes).

Poderão igualmente lucrar a Indulgência Plenária, pressupostos o desapego a qualquer pecado e a intenção de cumprir assim que possível as três condições habituais, os idosos doentes e todos os que, impossibilitados de sair de casa por grave motivo, se unirem espiritualmente às funções sagradas do Dia Mundial, oferecendo a Deus Misericordioso as suas orações, dores e sofrimentos da própria vida, principalmente enquanto forem transmitidas as palavras do Sumo Pontífice e as celebrações pelos meios televisivos e radiofónicos, mas também pelos novos meios de comunicação social.

Por isso, para que se torne mais fácil o acesso ao perdão divino por meio das Chaves da Igreja, em nome da caridade pastoral, esta Penitenciaria pede firmemente aos sacerdotes, munidos das oportunas faculdades para ouvir as confissões, que se mostrem disponíveis, com espírito pronto e generoso, para a celebração da Penitência.

O presente decreto é válido para o Primeiro Dia Mundial dos Avós e dos Idosos. Não obstante qualquer disposição contrária.

Dado em Roma, no Palácio da Penitenciaria Apostólica,
no dia 13 de maio,
Ascensão do Senhor, no ano da Encarnação do Senhor de 2021.

Mauro Card. Piacenza
Penitenciário-Mor

Krzysztof Nykiel
Regente