· Cidade do Vaticano ·

Para a votação de sete causas de canonização

O Papa realizou consistório
ordinário público

cq5dam.thumbnail.cropped.500.281.jpeg
11 maio 2021

Na manhã de 3 de maio, o Papa Francisco realizou um Consistório ordinário público para a canonização dos beatos: Lázaro, conhecido como Devasahayam, leigo, mártir; César de Bus, sacerdote, fundador da congregação dos Padres da Doutrina Cristã; Luís Maria Palazzolo, sacerdote, fundador do Instituto das Irmãs dos Pobres — Instituto Palazzolo; Justino Maria Russolillo, sacerdote, fundador da Sociedade das divinas vocações e da Congregação das Irmãs das divinas vocações; Charles de Foucauld, sacerdote diocesano; Maria Francisca de Jesus (no século: Anna Maria Rubatto), fundadora das Irmãs Terciárias Capuchinhas de Loano; e Maria Domenica Mantovani, cofundadora e primeira superiora-geral do Instituto das Pequenas Irmãs da Sagrada Família.

O Santo Padre chegou por volta das 10 horas na sala do Consistório do Palácio apostólico do Vaticano, onde o esperavam 45 cardeais, entre os quais Giovanni Battista Re, decano do Colégio cardinalício, e Marcello Semeraro, prefeito da Congregação para as causas dos santos. Também estavam presentes os arcebispos Edgar Peña Parra, substituto da Secretaria de Estado, Paul Richard Gallagher, secretário para as Relações com os Estados, Jan Romeo Pawłowski, secretário para as Representações pontifícias, Ilson de Jesus Montanari, secretário da Congregação para os bispos e secretário do Colégio cardinalício, e Fabio Fabene, secretário da Congregação para as causas dos santos, com o padre Turek Boguslaw, subsecretário do mesmo Dicastério.

Seguiu-se a celebração da Hora Terça, com os Salmos 18 e 7 recitados alternadamente e a proclamação da lectio brevis tirada da segunda Carta de São Paulo Apóstolo aos Coríntios (5, 19-20). Em seguida, o cardeal Semeraro perorou as causas, precedidas pela leitura em italiano de um breve perfil biográfico dos sete beatos.

O bispo de Roma, depois de receber o parecer dos cardeais, decidiu inscrever os sete beatos no álbum dos santos. A data para a canonização será estabelecida sucessivamente.

Seguiu-se a Optatio de oito purpurados da ordem dos diáconos para a ordem dos presbíteros: a pedido dos cardeais Amato, Sarah, Monterisi, Koch, Piacenza e Ravasi, as respetivas diaconias de Santa Maria «in Aquiro», de São João Bosco «in Via Tuscolana», de São Paulo «alla Regola», de Nossa Senhora do Sagrado Coração, de São Paulo «alle Tre Fontane» e de São Jorge «in Velabro» foram elevadas pro hac vice a títulos presbiterais. O arcebispo secretário do Colégio cardinalício apresentou o mesmo pedido ao Pontífice em nome dos purpurados ausentes, Burke e Brandmüller. Também a eles, o Papa Francisco concedeu que mantenham as respetivas diaconias de «Sant’Agata de’ Goti» e de «San Giuliano dei Fiamminghi» elevadas pro hac vice a título presbiteral. A seguir, o mestre das celebrações litúrgicas pontifícias, monsenhor Guido Marini, convidou monsenhor Leonardo Sapienza, protonotário apostólico, a redigir o instrumento público ad perpetuam rei memoriam.

O Pontífice deixou a sala do Consistório, por volta das 10h30.