· Cidade do Vaticano ·

Mensagem em vídeo por ocasião do Dia mundial da Terra

Coragem, justiça e verdade
para salvar o planeta
da catástrofe

cq5dam.thumbnail.cropped.500.281.jpeg
27 abril 2021

O Papa Francisco lançou um novo apelo aos líderes do mundo, «a fim de que ajam com coragem, trabalhem com justiça e digam sempre a verdade às pessoas, para que elas saibam proteger-se da destruição do planeta, salvaguardando a terra da catástrofe». Fê-lo numa mensagem em vídeo, transmitida por ocasião do «Earth Day Live 2021», comemoração online do Dia mundial da Terra, que teve lugar a 22 de abril. Publicamos a seguir o texto da mensagem.

Nesta comemoração do Dia da Terra, é sempre bom recordar que aquilo que há tempos dizemos uns aos outros não deve cair no esquecimento. Há algum tempo estamos mais conscientes de que a natureza merece ser protegida, também só pelo facto de que as interações humanas com a biodiversidade de Deus [que Deus nos deu] devem realizar-se com a máxima atenção e com respeito: cuidar da biodiversidade, cuidar da natureza. E durante esta pandemia, aprendemos tudo isto muito mais. Esta pandemia também nos mostrou o que acontece quando o mundo se detém, quando faz uma pausa, embora seja por poucos meses. E o impacto que isto provoca na natureza e nas mudanças climáticas, com força, de modo tristemente positivo, não é verdade? Por outras palavras, isto dói!

E isto demonstra-nos que a natureza global precisa da nossa vida neste planeta. Envolve todos nós, embora de maneiras múltiplas, diversas e inequívocas; e, por isso, também nos ensina mais sobre o que devemos fazer para criar um planeta justo, equitativo e ambientalmente seguro.

Em síntese, a pandemia de Covid ensinou-nos esta interdependência, esta partilha do planeta. E ambas as catástrofes globais, a Covid e o clima, demonstram que já não temos tempo para esperar. Este tempo é urgente e, como nos ensinou a Covid-19, sim, dispomos dos meios para enfrentar o desafio. Dispomos dos meios. É o momento de agir, estamos no limite!

Gostaria de repetir um antigo ditado espanhol: “Deus perdoa sempre, nós homens perdoamos de vez em quando, a natureza nunca perdoa”. E quando esta destruição da natureza se desencadeia, é muito difícil impedi-la. Mas ainda há tempo. E seremos mais resilientes se trabalharmos em conjunto e não sozinhos. A adversidade que vivemos com a pandemia, e que já sentimos nas mudanças climáticas, deve impelir-nos, deve levar-nos à inovação, à invenção, à procura de novos caminhos. Não saímos de uma crise do mesmo modo, saímos melhores ou piores. Este é o desafio, e se não sairmos melhores, percorreremos um caminho de autodestruição.

Que todos vós... também eu me uno a vós num apelo a todos os líderes do mundo para agir com coragem, para que ajam com justiça e digam sempre a verdade às pessoas, para que saibam proteger-se da destruição do planeta, salvaguardando o planeta da catástrofe, que muitas vezes nós mesmos desencadeamos.

Obrigado pelo que fazeis, obrigado pelas boas intenções, obrigado pelo vosso encontro. E os melhores votos para todos [e prosperidade para todos]!


Aos participantes no «Summit on climate»

O desafio do pós-pandemia


Ainda por ocasião do Dia mundial da Terra, de 22 a 23 de abril teve lugar de modo virtual uma conferência internacional sobre o clima, organizada pelos Estados Unidos da América. Publicamos a seguir a mensagem em vídeo enviada pelo Papa na inauguração dos trabalhos da assembleia.

Bom dia! Saúdo-vos, a vós que estais reunidos nesta iniciativa que me parece oportuna. Uma iniciativa que põe a caminho todos nós, toda a humanidade, através dos seus líderes. Coloca-nos a caminho concretamente, rumo ao Encontro de Glasgow mas, de modo ainda mais concreto, para assumirmos a responsabilidade pelo cuidado da natureza, por este dom que recebemos e que devemos cuidar, preservar e levar em frente. E isto adquire um significado muito maior, porque é um desafio que devemos enfrentar neste período pós-pandémico. Ainda não acabou, mas temos que olhar em frente, porque se trata de uma crise. Sabemos que de uma crise não saímos iguais: ou saímos melhores ou piores.

E a nossa preocupação é fazer com que o meio ambiente seja mais limpo, mais puro e preservado. E cuidar da natureza, a fim de que ela cuide de nós. Desejo-vos bom êxito nesta boa decisão de vos encontrardes, de prosseguir o caminho, e eu acompanho-vos.

O brigado!