· Cidade do Vaticano ·

Diante do túmulo de São Francisco de Assis Papa assinou a encíclica «Fratelli tutti»

Uma mensagem de fraternidade universal

cq5dam.thumbnail.cropped.500.281.jpeg
06 outubro 2020

O Papa foi a Assis para assinar a sua nova encíclica Fratelli tutti, sobre a fraternidade e a amizade social. À pequena cidade da Úmbria, o Pontífice chegou de carro no início da tarde de sábado, 3 de outubro, véspera da festa litúrgica de São Francisco, após uma breve visita a Spello, na diocese de Foligno, onde se encontrou com a comunidade das Clarissas.

Diante do túmulo do Pobrezinho Francisco celebrou a Missa, no final da qual assinou a terceira carta encíclica do seu pontificado — após a Lumen fidei, de 29 de junho de 2013, e a Laudato si’, de 24 de maio de 2015 — cujo texto foi divulgado depois do meio-dia de domingo, 4 de outubro, no final do Angelus na praça de São Pedro.

Na manhã de domingo, a encíclica foi apresentada durante uma conferência que teve lugar na Sala nova do Sínodo, no Vaticano, na presença do cardeal secretário de Estado, Pietro Parolin. Intervieram o cardeal Miguel Ángel Ayuso Guixot, presidente do pontifício Conselho para o diálogo inter-religioso; Mohamed Mahmoud Abdel Salam, secretário-geral do alto Comité para a Fraternidade humana; Anna Rowlands, professora de Catholic Social Thought & Practice na Universidade de Durham, no Reino Unido; e Andrea Riccardi, fundador da Comunidade de Sant’Egidio, professor de História contemporânea.

A publicação da encíclica coincidiu com o recomeço da impressão em papel de «L’Osservatore Romano», que no domingo publicou uma edição especial com o texto completo do documento papal, distribuído gratuitamente na praça de São Pedro imediatamente após a prece mariana.

Renovado na gráfica e no conteúdo, o jornal oferecerá diariamente notícias e análises aprofundadas sobre a atualidade vaticana, religiosa, política e cultural, completadas por quatro suplementos temáticos: na tarde de terça-feira “Quattropagine”, o semanário cultural; na tarde de quarta-feira “Religio”, dedicado à Igreja como  hospital de campo, a caminho pelas estradas do mundo; na tarde de quinta-feira “La settimana di Papa Francesco”, para realçar as palavras e os gestos do Pontífice; na tarde de sexta-feira “Atlante”, com as crónicas de um mundo globalizado.