Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Violência contra pessoas inermes

· Na mensagem para as exéquias das vítimas a condenação do atentado na catedral sírio-católica de Bagdad ·

Os cristãos são objecto de ataques cruéis que minam a convivência civil

Há anos no Iraque os cristãos «tornaram-se objecto de ataques cruéis» que «pretendem ameaçar a confiança e a convivência civil», escreveu Bento XVI na mensagem enviada a D. Athanase Matti Shaba Matoka, arcebispo de Bagdad dos Sírio-Católicos, por ocasião das exéquias, celebradas a 2 de Novembro, das vítimas do gravíssimo ataque terrorista contra a catedral sírio-católica da capital iraquiana no domingo, 31 de Outubro. Segundo as últimas notícias, a batalha, que durou três horas, entre os milicianos do grupo Estado islâmico no Iraque, considerado expressão da organização terrorista internacional Al Qaeda, e as forças de pronto-socorro iraquianas, provocou 58 mortos, entre os quais mulheres e crianças, além de dois jovens sacerdotes, e são cerca de 80 os feridos. A seguir o texto da mensagem.

Profundamente comovido pela morte violenta de tantos fiéis e dos Rev.dos Sacerdotes Tha’ir Saad e Boutros Wasim, desejo, por ocasião do Sagrado Rito das exéquias, fazer-me espiritualmente partícipe, enquanto rezo para que estes irmãos e irmãs sejam acolhidos pela misericórdia de Cristo na Casa do Pai.

Há anos este amado país sofre inenarráveis penas e também os cristãos se tornaram objecto de cruéis ataques que, em total desprezo pela vida, inviolável dom de Deus, pretendem ameaçar a confiança e a convivência civil.

Renovo o meu apelo a fim de que o sacrifício destes nossos irmãos e irmãs possa ser semente de paz e de renascimento verdadeiro e para que quantos amam a reconciliação e a convivência fraterna e solidária, encontrem motivo e força para trabalhar pelo bem.

A todos vós, queridos irmãos e filhos, chegue a minha confortadora Bênção Apostólica, que de bom grado concedo aos feridos e às vossa famílias tão duramente provadas.

BENEDICTUS pp. XVI

Na segunda-feira, 1 de Novembro, durante o Angelus na solenidade de todos os Santos, o Papa voltou a condenar «a feroz violência contra pessoas inermes» em Bagdad.

Ontem à noite, num gravíssimo atentado na catedral sírio-católica de Bagdad, houve dezenas de mortos e feridos, entre os quais dois sacerdotes e um grupo de fiéis reunidos para a Santa Missa dominical. Rezo pelas vítimas desta violência absurda, muito feroz sobretudo porque atingiu pessoas inermes, reunidas na casa de Deus, que é casa de amor e de reconciliação. Exprimo também a minha proximidade afectuosa à comunidade cristã, novamente atingida, e encorajo pastores e fiéis a serem fortes e firmes na esperança. Diante dos atrozes episódios de violência, que continuam a dilacerar as populações do Médio Oriente, gostaria de renovar o meu urgente apelo a favor da paz: ela é dom de Deus, mas é também o resultado dos esforços dos homens de boa vontade e das instituições nacionais e internacionais. Todos unam as próprias forças a fim de que terminem todas as violências!

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

17 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS