Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Vinho ou água?

· No Angelus o Papa admoesta os cristãos sobre o risco de se tornarem mundanos ·

O Papa chamou a atenção dos cristãos para o risco de se tornarem «mundanos». Porque «é triste — revelou aos fiéis reunidos na praça de São Pedro para o Angelus, ao meio-dia de domingo 31 de Agosto — encontrar cristãos “diluídos”, que se parecem com o vinho aguado, e já não se sabe se são cristãos ou mundanos, como o vinho aguado, que não se sabe se é vinho ou água!».

A reflexão do Pontífice partiu do trecho litúrgico do Evangelho de Mateus (16, 21-27), no qual «sobressai – observou – o contraste entre o modo de pensar de Jesus e o dos discípulos», em particular de Pedro, o qual «sem se dar conta desempenha o papel de satanás, o tentador». Uma aspecto realçado também pela carta de são Paulo aos romanos, como convite a seguir «a vontade de Deus» sem se conformar com os «esquemas deste mundo».

Com efeito, comentou o bispo de Roma, «nós cristãos vivemos no mundo, plenamente inseridos na realidade social e cultura do nosso tempo». Mas corremos o perigo de nos tonarmos «mundanos», de perder «o sabor». E é «triste – constatou – encontrar cristãos que não são o sal da terra, e sabemos que quando o sal perde o seu sabor, já não serve para nada. O seu sal perdeu o sabor porque se entregaram ao espírito do mundo, ou seja, tornaram-se mundanos».

Daqui o convite a «renovar-se constantemente haurindo da linfa do Evangelho». Um compromisso que deve ser realizado sobretudo «lendo e meditando» todos os dias a palavra de Deus, recomendou o Pontífice aconselhando os fiéis a «ter sempre o Evangelho convosco: um pequeno Evangelho, no bolso, na bolsa, e ler durante o dia um trecho».

No final da prece mariana Francisco recordou a celebração na Itália do dia da tutela da criação, lançando um apelo às instituições, associações e cidadãos «a fim de que sejam salvaguardadas a vida e a saúde das pessoas respeitando também o ambiente e a natureza». Em seguida, o Papa desejou «um bom jogo» aos jogadores protagonistas do encontro a favor da paz em programa para a noite de segunda-feira 1 de Setembro no estádio Olímpico de Roma.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

26 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS