Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

A vida diária que nos une

· O Papa recebe uma delegação do patriarcado ecuménico de Constantinopla na solenidade dos santos Pedro e Paulo ·

É preciso visar a «colaboração em tantos campos da vida diária, que já agora felizmente nos une» para superar as dificuldades ainda persistentes no caminho rumo à unidade, disse Francisco na manhã de 28 de Junho, recebendo em audiência os membros da delegação do patriarcado ecuménico de Constantinopla, que vieram a Roma para participar na celebração da solenidade dos santos apóstolos Pedro e Paulo.

Antes de tudo, o Papa quis dirigir o seu pensamento ao patriarca ecuménico de Constantinopla, Bartolomeu: «Durante a nossa peregrinação conjunta à terra de Jesus – disse – pudemos reviver a graça do abraço que teve lugar há cinquenta anos na cidade santa de Jerusalém, entre os nossos venerados predecessores, Atenágoras I e Paulo VI. Aquele gesto profético deu um impulso decisivo a um caminho que, graças ao Senhor, nunca mais se deteve».

Depois, o Pontífice disse que considera um dom especial do Senhor «o facto de ter podido venerar juntos aqueles lugares tão santos, unindo-nos em oração diante do sepulcro de Cristo, onde podemos tocar com a mão o fundamento da nossa esperança».

Uma alegria que se renovou «quando, juntos – recordou – concluímos idealmente a peregrinação elevando aqui, perante o túmulo do apóstolo Pedro, uma prece ardente a Deus pela dádiva da paz na Terra Santa, em companhia dos presidentes israelita e palestino». É precisamente graças a estes momentos vividos em comum que o Senhor, observou o bispo de Roma, ofereceu a possibilidade «de manifestar reciprocamente o amor em Cristo que nos une e de renovar a vontade comum de continuar a caminhar juntos pela senda que leva à plena unidade». Naturalmente, concluiu, ainda há muito a fazer para alcançar este dom do Senhor; por isso, «todos nós devemos abrir-nos com coragem e confiança à obra do Espírito Santo», deixando-nos comprometer «no caminho deste ecumenismo espiritual».

Texto em inglês do discurso do Papa Francisco  

Tradução em italiano 

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

23 de Outubro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS