Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Viagens recordes

· Apresentados os pormenores das próximas visitas de Francisco a Estrasburgo e à Turquia ·

As próximas duas viagens internacionais do Papa Francisco – a Estrasburgo, no dia 25 de Novembro; e à Turquia, de 28 a 30 de Novembro – serão caracterizadas por alguns recordes. Antes de tudo – explicou o director da sala de imprensa da Santa Sé, padre Lombardi, ao apresentar na manhã de 17 de Novembro aos jornalistas os pormenores das duas viagens – terão lugar à distância de apenas dois dias uma da outra: é a primeira vez que isto acontece, e a circunstância é determinada pelo particular cruzamento de datas, devido à normal actividade programada dos parlamentares europeus e à celebração da festa de santo André, ocasião para a qual o patriarca Bartolomeu convidou o Pontífice para visitar a Turquia.

Mas a visita a Estrasburgo será também a mais breve viagem internacional realizada por um Pontífice: menos de quatro horas, durante as quais o Papa Francisco pronunciará dois discursos importantes, um ao Parlamento europeu e o outro ao Conselho da Europa. Por isso, a viagem não terá qualquer conotação pastoral ou religiosa: Francisco falará à Europa e, tendo em consideração as especificidades das duas assembleias, poderá abordar os temas relativos aos problemas e às responsabilidades que dizem respeito ao Continente. Palavras esperadas, visto que os últimos discursos de um Pontífice a estas instituições remontam ao mês de Outubro de 1988, durante a viagem de João Paulo II à França. Ainda existia o muro de Berlim.

De cunho absolutamente diferente será a visita à Turquia. Uma viagem que se insere numa consolidada tradição, que se pode fazer remontar ao amor, retribuído, que Angelo Giuseppe Roncalli tinha por esse país, e pode-se fazer continuar com Paulo VI (1967), João Paulo II (1979) e Bento XVI (2006). Também esta será uma viagem rápida. Só três dias, mas densos de encontros significativos. Se o dia 28 de Novembro, em Ancara, será dedicado aos encontros de tipo institucional, como aqueles com o presidente da República e com o presidente do Departamento para os assuntos religiosos (Diyanet), aos quais o Pontífice dirigirá os seus discursos, nos dias seguintes em Istambul respirar-se-á plenamente o vento do ecumenismo e das relações fraternas entre as religiões. Recebido pelo patriarca Bartolomeu e pelo governador de Istambul, o Papa visitará o museu de Santa Sofia que, como se sabe, encerra na sua história os vínculos com o cristianismo e com o islão, e depois visitará a Mesquita Azul, onde será recebido pelo grão-mufti e por um imame. Ainda no sábado, na sede da representação pontifícia, Francisco poderá encontrar-se com os representantes das comunidades católicas locais, enquanto na parte da tarde celebrará a missa na catedral latina do Espírito Santo e em seguida participará – na sede do patriarcado ecuménico, no bairro grego do Fanar – num breve momento de oração ecuménica.

No domingo, depois de saudar também o grão-rabino da Turquia, o Papa participará, na igreja de São Jorge, da divina liturgia para a festividade de santo André. Nessa ocasião, o Pontífice e o patriarca Bartolomeu assinarão uma declaração conjunta que será lida solenemente na sala do patriarcado.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

22 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS