Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Uma vida “queimada” ao serviço das crianças africanas

· ​Na audiência geral dedicada ao Pai-Nosso o Papa conferiu uma honorificência à religiosa Maria Concetta Esu ·

«Ela ajudou» milhares de crianças a nascer: a “maravilha!” pelo serviço desempenhado como obstetra pela irmã Maria Concetta Esu, religiosa italiana missionária na África, foi frisada pelo Papa na audiência geral de quarta-feira, 27 de março, na praça de São Pedro. No final da catequese sobre o Pai-Nosso, depois de ter saudado os vários grupos linguísticos presentes, Francisco chamou ao seu lado a idosa religiosa para lhe conferir a honorificência Pro ecclesia et Pontifice. O Papa citou também o cardeal Cláudio Hummes que quando vai à Amazónia visita os túmulos dos missionários ali falecidos.

Estimados irmãos e irmãs!

Hoje temos a alegria de ter connosco uma pessoa que desejo apresentar-vos. É a irmã Maria Concetta Esu, da Congregação das Filhas de São José de Genoni. E por que o faço?

A irmã Maria Concetta tem 85 anos e há quase 60 é missionária na África, onde desempenha o seu serviço de obstetra. Um aplauso. Conheci-a em Bangui, quando fui para inaugurar o Jubileu da Misericórdia. Lá ela contou-me que na sua vida ajudou milhares de crianças a nascer. Que maravilha! Inclusive naquele dia tinha vindo do Congo em canoa — com 85 anos — para fazer compras em Bangui.

Nestes dias está em Roma para um encontro com as suas irmãs de hábito e hoje veio à audiência com a sua Superiora. Então pensei em aproveitar esta ocasião para lhe entregar um sinal de reconhecimento e dizer um grande obrigado pelo seu testemunho! Querida Irmã, em meu nome e no da Igreja, ofereço-te uma honorificência. É um sinal do nosso afeto e do nosso “obrigado” por todo o trabalho que realizaste no meio das irmãs e irmãos africanos, ao serviço da vida, das crianças, das mães e das famílias.

Com este gesto dedicado a ti, pretendo exprimir também o meu reconhecimento a todos os missionários e missionárias, sacerdotes, religiosos e leigos, que espalham a semente do Reino de Deus em todas as partes do mundo, O vosso trabalho, queridos missionários e missionárias, é grande. Vós “queimais” a vida semeando a palavra de Deus com o vosso testemunho... E neste mundo não sois notícia. Não sois notícia nos jornais. O cardeal Hummes, que é o encarregado do Episcopado brasileiro, de toda a Amazónia, com frequência visita as cidades e as aldeias da Amazónia. Cada vez que chega ali — ele mesmo me contou — vai ao cemitério visitar os túmulos dos missionários; muitos faleceram jovens devido a doenças contra as quais não tinham anticorpos. E ele disse-me: “Todos eles merecem ser canonizados”, porque “queimaram” a vida no serviço.

Queridos irmãos e irmãs, a Irmã Maria Concetta, depois deste compromisso proximamente voltará para a África. Acompanhemo-la com a oração. E o seu exemplo nos ajude todos a viver o Evangelho onde estivermos.

Obrigado, Irmã! O Senhor te abençoe e Nossa Senhora te proteja.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

17 de Outubro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS