Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Uma ulterior etapa no caminho da reforma da Cúria

· A reunião dos chefes de dicastérios realizada após a canonização ·

Foi uma ulterior etapa no caminho da reforma da Cúria romana a reunião do Papa Francisco com os chefes de dicastérios realizada na manhã de segunda-feira, 24 de Novembro, na Sala Bolonha, no Vaticano. Ao dar a notícia o director da Sala de imprensa da Santa Sé, pe. Federico Lombardi, explicou que o encontro, que durou cerca de três horas, foi introduzido pelo bispo Marcello Semeraro, secretário do Conselho dos cardeais, o organismo instituído no ano passado pelo Pontífice para o coadjuvar no governo da Igreja e para estudar um projecto de revisão da Pastor bonus. O prelado ilustrou os elementos das propostas para a reforma apresentadas pelo próprio Conselho, sobre as quais os participantes na reunião expressaram o próprio pensamento e as suas reflexões. O pe. Lombardi, confirmou que o próximo encontro do Conselho será realizado de 9 a 11 de Dezembro.

A manhã do Papa iniciou com a audiência aos numerosos fiéis indianos que chegaram a Roma para a canonização de dois filhos da Igreja sírio-malabar, Kuriakose Elias Chavara da Sagrada Família e Eufrásia Eluvathingal, proclamados santos na solenidade de Cristo rei juntamente com Giovanni Antonio Farina, Ludovico da Casoria, Nicola da Longobardi e Amato Ronconi. Aos peregrinos reunidos na basílica do Vaticano o Pontífice repropôs o testemunho dos novos santos, assim como tinha feito durante a cerimónia de domingo na praça de São Pedro, quando sublinhou que os seis beatos canonizados «se dedicaram sem poupar energias ao serviço dos últimos, assistindo indigentes, doentes, idosos e peregrinos». Na sua vida,  acrescentou, «procuraram e descobriram a caridade na relação forte e pessoal com Deus, da qual se liberta o verdadeiro amor pelo próximo». Em seguida, no Angelus, um pensamento particular foi dedicado ao «querido povo italiano», com os bons votos a fim de que se revigore «o espírito de colaboração e de concórdia para o bem comum».

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

21 de Novembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS