Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Uma semente que cresce

· Na audiência aos bispos do Botsuana, África do Sul e Suazilândia o Papa frisou a vivacidade da Igreja ·

Uma Igreja que cresce não obstante os grandes desafios apresentados pela sociedade contemporânea. O Papa Francisco, falando aos pastores da Igreja no Botsuana, África do Sul e Suazilândia – recebidos na manhã de sexta-feira, 25 de Abril, por ocasião da visita ad limina Apostolorum – enumerou as luzes e as sombras desta comunidade em caminho. E entre as sombras indicou sobretudo o sofrimento das famílias, denunciando o seu empobrecimento e a sua escassa propensão a favorecer o nascimento de vidas novas, inclusive recorrendo cada vez mais ao aborto; a violência contra as mulheres e as crianças; a desintegração das uniões sacramentais sob o peso de uma cultura secularista.

Depois, a sua preocupação dirigiu-se para os mais necessitados, entre as quais se inserem os desempregados e os imigrantes. E pediu criatividade para ajudar estas pessoas, sobretudo a fim de que encontrem Jesus. Todavia, demonstrou estar ciente das dificuldades causadas pela falta de sacerdotes e de novas vocações. Também no que diz respeito ao compromisso dos leigos, é necessário enfrentar os desafios relativos à proliferação das seitas, que acabam por exercer uma atracção cada vez maior sobre as pessoas. Uma tendência, o Pontífice observou, favorecida também pelo «fracasso da moral cristã», que chega perigosamente até aos confins da conspiração com a desonestidade.

Portanto, é importante a referência ao testemunho por parte da comunidade cristã, pronta a demonstrar a sua coerência com os valores e as virtudes «da honestidade e da integridade». E não faltam exemplos nesta região. O Papa frisou o compromisso de testemunho que enriquece muitas paróquias florescentes, «que prosperam – observou – também no meio das maiores dificuldades»; o grande trabalho que se realiza nalgumas dioceses para a formação de catequistas; a disponibilidade de sacerdotes, religiosos e religiosas a acompanhar pessoas em dificuldade como os divorciados, as crianças órfãs, os doentes de Sida. Aos bispos cabe contudo a grande missão de continuar a ensinar «com determinação» a verdade «em todas as ocasiões, oportunas e inoportunas».

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

12 de Novembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS