Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Uma proposta nova

A partir do mês de Maio «L'Osservatore Romano» foi enriquecido com um suplemento dedicado às mulheres: mulheres do mundo inteiro, com atenção particular à sua relação com a Igreja. Um periódico mensal que informa sobre a vida e a condição feminina, sem esquecer os temas mais «candentes», como tudo o que está relacionado com a procriação, o acesso à cultura e a emancipação.  Há muitas notícias interessantes, normalmente esquecidas pelos órgãos de informação e que, ao contrário, deveriam ser difundidas, a fim de que forneçam um nível mais elevado de consciência   sobre a situação feminina hoje. A primeira página do suplemento é dedicada às mulheres que desempenham um papel importante na Igreja e não são conhecidas, ou conhecidas muito pouco. A sua contribuição, sejam elas religiosas ou leigas, está a tornar-se cada vez mais ampla e significativa – basta pensar que hoje no mundo  as religiosas  são 740.000, em comparação com os 460.000 religiosos e sacerdotes – mas não lhe é dado o devido realce. Portanto, torná-la conhecida ajudará também a modificar preconceitos e ideias preconcebidas sobre a Igreja católica  e a sua atitude em relação às mulheres. Em cada suplemento haverá um espaço destinado à espiritualidade feminina, uma pesquisa sobre temas ligados às mulheres e à vida religiosa, a indicação de um romance, ensaio ou filme, mesmo se nem sempre estiverem relacionados à religião. Contudo, esperamos oferecer um serviço útil, que amplie as informações e contribua para aprofundar o conhecimento sobre o papel das mulheres na Igreja hoje e no passado. Decidimos   começar no mês de Maio para pôr esta nova iniciativa sob o manto protector da Virgem. Também a Maria  se  refere a frase da Escritura à qual nos inspiramos, que  se repete duas vezes no evangelho de Lucas (2, 19 e 51). E preferimos a tradução  «confrontava» ao mais usual «ponderava» porque no ânimo da Virgem se agitavam e se confrontavam situações e eventos diferentes, sempre em movimento, numa turbulência que encontrava a paz  mas não a aquiescência banal ( l. s. )

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

14 de Dezembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS