Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Uma esperança para o futuro da Igreja

· Na audiência geral de quarta-feira o Santo Padre reviveu as emoções da Jornada mundial da juventude de Madrid ·

«Ide, pois, e ensinai todas as nações» é o lema evangélico do encontro do Rio de Janeiro em 2013

«Alegrai-vos sempre no Senhor!» e «Ide, pois, e ensinai todas as nações». Estas duas expressões — tiradas respectivamente da Carta de são Paulo aos Filipenses (4, 4) e do Evangelho de Mateus (28, 19) — serão os temas das próximas duas Jornadas mundiais da juventude: a primeira terá lugar no Domingo de Ramos de 2012 nas dioceses individualmente, e a segunda realizar-se-á de 23 a 28 de Julho de 2013 no Rio de Janeiro. Quem os anunciou foi Bento XVI na manhã de quarta-feira 24 de Agosto, durante a audiência geral em Castel Gandolfo.

Tendo ainda nos olhos e no coração a «formidável experiência de fraternidade e de encontro com o Senhor, de partilha e de crescimento na fé» vivida pelos cerca de dois milhões de jovens do mundo inteiro que participaram na Jornada mundial da juventude em Madrid, o Sumo Pontífice quis imediatamente dar início à preparação dos dois próximos encontros, «muito importantes».

Repercorrendo os momentos salientes das jornadas de Madrid — que considera «como um grande dom» — o Santo Padre transmitiu aos fiéis, presentes em grande número no encontro semanal, todas as emoções suscitadas pelo entusiasmo com que os jovens e a Espanha o receberam e depois acompanharam durante a realização daquele «acontecimento eclesial emocionante». Bento XVI não deixou de renovar os seus agradecimentos e reconhecimento «a quantos trabalharam generosamente em prol desta Jornada», a começar pelo cardeal Rouco Varela e os seus auxiliares, para terminar com as autoridades civis espanholas. Dirigiu depois um «obrigado» particular ao rei e à rainha da Espanha, pela sua «calorosa recepção».

A impressão mais viva que o Papa conservou «com alegria no coração» foi aquela que os jovens, decididos a levar ao mundo «a esperança que nasce da fé», souberam suscitar.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

23 de Setembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS