Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Um testemunho que brada

· No discurso ao moderador da Igreja da Escócia o Papa recorda os egípcios coptas assassinados ·

«O sangue dos nossos irmãos é um testemunho que brada»: disse o Papa Francisco recordando o bárbaro assassínio de um grupo de egípcios coptas em Sirte por obra das milícias jihadistas. 

O Pontífice falou sobre isto acrescentando algumas frases em espanhol ao discurso dirigido em italiano ao moderador da Igreja da Escócia, recebido na manhã de segunda-feira 16 de Fevereiro.

«Hoje – disse o Pontífice – pude ler sobre a decapitação daqueles vinte e um ou vinte e dois cristãos coptas. Diziam unicamente: «Jesus, ajuda-me!». Foram assassinados unicamente por serem cristãos. Você, irmão, no seu discurso fez referência ao que está a acontecer na terra de Jesus. O sangue dos nossos irmãos cristãos é um testemunho que brada. Sejam eles católicos, coptas, luteranos, não importa: são cristãos! E o sangue é o mesmo. O sangue confessa Cristo. Recordando estes irmãos que morreram unicamente por confessarem Cristo, peço que nos encorajemos uns ao outros para prosseguir com este ecumenismo, que nos está a dar força, o ecumenismo do sangue. Os mártires são de todos os cristãos!»

Texto integral do discurso do Papa

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

21 de Outubro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS