Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

​Um ramo de rosas para os defuntos

Juntamente com a tristeza na recordação dos queridos defuntos, «uma âncora não desilude: a esperança da ressurreição». Disse o Papa Francisco na homilia improvisada durante a missa celebrada em Roma, no cemitério Flaminio, para a comemoração de todos os fiéis defuntos, na tarde de quarta-feira, 2 de novembro. Tendo chegado pouco antes das 16h00, o Pontífice colocou um ramo de rosas diante de um túmulo, gesto que repetiu no final da missa.

Eram centenas os fiéis que participaram na missa. Ao regressar ao Vaticano, o Papa, acompanhado pelo cardeal arcipreste, Angelo Comastri, e pelo bispo Vittorio Lanzani, delegado da Fábrica de São Pedro, foi às Grutas da basílica para um momento de oração privado em sufrágio pelos Pontífices ali sepultados.

Homilia do Papa 

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

17 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS