Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Um poderoso motor de desenvolvimento

· Mensagem para o Dia mundial do turismo ·

O turismo é um motor fundamental de desenvolvimento económico, devido à importante contribuição que oferece para o Produto interno bruto (Pib), avaliado em mais ou menos 3-5% a nível mundial; para a criação de empregos, calculados em 7-8% do total no mundo do trabalho; e para as exportações, considerando que favorece 30% da oferta mundial de serviços. Em síntese, o turismo é fonte de desenvolvimento comunitário. E é precisamente este tema sobre o qual se fundamenta a participação da Igreja no Dia mundial do turismo, programado para 27 de Setembro pela Organização mundial do turismo (Omt). Portanto, não é por acaso que o Pontifício conselho para a pastoral dos migrantes e itinerantes tenciona contribuir para esta Dia, com a transmissão de uma mensagem intitulada: «Turismo e desenvolvimento comunitário», cujo texto foi divulgado a 11 de Julho.

A base do interesse da Igreja pelo turismo está na sua doutrina social. Com efeito, a noção de «desenvolvimento comunitário» — lê-se no texto da mensagem — «está estreitamente ligada a um conceito mais vasto, que faz parte da doutrina social, ou seja o “desenvolvimento humano integral”, a partir do qual lemos e interpretamos o primeiro. A este propósito, são iluminadoras as palavras de Paulo VI, o qual na encíclica Populorum progressio afirmava que «o desenvolvimento não se reduz ao simples crescimento económico. Para ser desenvolvimento autêntico, deve ser integral, ou seja, destinado à promoção de todo o homem, e do homem todo». Um princípio, recorda a mensagem, que coincide com o que afirmou a própria Omt no seu Código ético mundial, publicado em 1999: «O turismo deve ser uma actividade benéfica para as comunidades de destino: “As populações locais participarão nas obras turísticas e compartilharão de modo equitativo os seus benefícios económicos, sociais e culturais, em particular no que se refere à criação directa e indirecta de empregos”. Por isso, é preciso instaurar entre estas duas realidades uma relação de reciprocidade, que leve a um enriquecimento mútuo».

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

17 de Outubro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS