Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Um mês de oração para as missões

· Anunciado pelo Pontífice para outubro de 2019 no centenário da «Maximum illud» de Bento XV ·

E na manhã também a audiência aos líderes evangélicos em Roma para a vigília de Pentecostes

Um mês «extraordinário de oração e reflexão sobre a missio ad gentes», eis quanto anunciou o Papa para outubro de 2019, no centenário da carta apostólica de Bento XV Maximum illud, recebendo a 3 de junho os participantes na assembleia das Pontifícias obras missionárias (Pom). Expressando preocupação pelo facto de que as Pom são «muitas vezes reduzidas a uma organização que recolhe e distribui, em nome do Papa, ajudas missionárias», Francisco confidenciou ter «escolhido muito favoravelmente a proposta» elaborada juntamente com a Congregação para a evangelização dos povos. E confiou «este processo urgente de reforma» à intercessão dos santos Carlo Lwanga e os seus companheiros mártires ugandeses.

No discurso o Pontífice citou além do documento de Bento XV também a exortação apostólica Evangelii nuntiandi de Paulo VI, magna carta do compromisso missionário pós-conciliar. Concluíndo, fez votos para que o mês extraordinário «seja um tempo propício a fim de que a oração, o testemunho de numerosos santos e mártires da missão, a reflexão bíblica e teológica, a catequese e a caridade missionária contribuam para evangelizar em primeiro lugar a Igreja».

E sempre nesta manhã, o Papa recebeu no Vaticano centenas de líderes evangélicos. Reunidos em Roma para participar na vigília de Pentecostes, que se realiza hoje à tarde no Circo Massimo por ocasião do jubileu de ouro da Renovação carismática italiana, encontrar-se-ão também na manhã de domingo na praça de São Pedro para a missa da solenidade celebrada pelo Pontífice. Na breve saudação dirigida aos participantes na audiência, Francisco agradeceu-lhes o trabalho em prol da unidade dos cristãos e quanto é feito “juntos”, em particular no que diz respeito à ajuda aos pobres e ao campo educativo, exortando a permanecer «sempre no caminho, nunca parados». Por fim, convidou a concluir o encontro «como irmãos, rezando o nosso pai cada um na própria língua»; depois da recitação do Pai-Nosso, marcou encontro para a tarde.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

17 de Outubro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS