Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Um futuro de reconciliação e justiça para o Iraque

· No Angelus o Papa reclama segurança para os cristãos e para todas as minorias religiosas ·

Solidariedade para com os chilenos e as outras populações atingidas pelo terramoto

Segurança para os cristãos e as minorias religiosas no Iraque, solidariedade para com as populações do Chile atingidas pelo terramoto: a exortação foi feita durante o Angelus de domingo, 28 de Fevereiro, no final da prece mariana com numerosos fiéis na Praça de São Pedro.

Tomei conhecimento com profunda tristeza das trágicas notícias dos recentes assassínios de alguns cristãos na cidade de Mossul e segui com viva preocupação os  demais episódios de violência, perpetrados na atormentada terra iraquiana contra pessoas inermes de diversas pertenças religiosas. Nestes dias de intenso recolhimento rezei com frequência pelas vítimas daqueles atentados e hoje desejo unir-me espiritualmente à oração pela paz e pelo restabelecimento da segurança, promovida pelo Conselho dos Bispos de Nínive. Estou afectuosamente próximo das comunidades cristãs de todo o país. Não vos canseis de ser fermento de bem para a pátria à qual, desde há séculos, pertenceis plenamente!

Na delicada fase política que o Iraque está a atravessar apelo-me às Autoridades civis, para que façam todos os esforços para voltar a dar segurança à população e, sobretudo, às minorias religiosas mais vulneráveis. Espero que não se ceda à tentação de fazer prevalecer os interesses temporários e de parte sobre a incolumidade e sobre os direitos fundamentais de cada cidadão. Por fim, enquanto saúdo os iraquianos presentes aqui na Praça, exorto a comunidade internacional a prodigalizar-se para dar aos Iraquianos um futuro de reconciliação e de justiça, e invoco com confiança de Deus omnipotente o dom precioso da paz.

O meu pensamento dirige-se também ao Chile e às populações atingidas pelo terramoto, que causou numerosas perdas de vidas humanas e ingentes danos. Rezo pelas vítimas e estou espiritualmente próximo das pessoas provadas por tão grave calamidade; para elas imploro de Deus alívio para o sofrimento e coragem nestas adversidades. Estou certo de que não faltará a solidariedade de muitos, sobretudo das organizações eclesiais.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

7 de Dezembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS