Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Um coração que deseja

· No Angelus o Papa recorda que o amor é o verdadeiro tesouro do homem ·

Com os irmãos muçulmanos um compromisso para promover o respeito recíproco

«O cristão é alguém que tem dentro de si um desejo grande, um desejo profundo: de se encontrar com o seu Senhor, juntamente com os irmãos, com os companheiros de caminho», recordou o Papa Francisco durante o Angelus de 11 de Agosto, na praça de São Pedro, inspirando-se no trecho do evangelho de Lucas proposto pela liturgia do décimo nono domingo do tempo comum.

Para o Pontífice o desejo do encontro com Cristo mantém vigilante o espírito do crente, evitando o perigo de «um coração fechado, um coração adormecido, um coração anestesiado pelas situações da vida». Deste modo compreende-se que o verdadeiro «tesouro» do homem, a realidade «mais importante» e «mais preciosa», é o amor de Deus «que confere sentido aos pequenos compromissos diários»  e  ajuda também «a enfrentar as grandes provações».  Nesta perspectiva, são significativas as palavras que o Papa desejou dirigir aos muçulmanos – chamando-lhes «nossos irmãos»  – no final da oração mariana. Retomando quanto escreveu na mensagem autógrafa enviada recentemente por ocasião do encerramento do Ramadão, o Santo Padre repetiu os votos para que «cristãos e muçulmanos se comprometam em promover o respeito recíproco».

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

21 de Outubro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS