Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Tudo começou com o Papa Montini

A 11 de junho serão ordenados sacerdotes os vinte e seis diáconos de Milão que se encontraram com o Papa na audiência geral, relançando «uma tradição iniciada no primeiro ano de pontificado de Paulo VI, e que vê os futuros presbíteros ambrosianos realizarem uma peregrinação a Roma».

Apresentou-os a Francisco monsenhor Michele Di Tolve, reitor do seminário milanês, que os acompanhou juntamente com os superiores e os formadores. «Os vinte e seis diáconos – diz – já receberam o mandato da atividade pastoral que serão chamados a desempenhar, sobretudo com os jovens na realidade dos nossos oratórios».

Nos seis dias passados em Roma o grupo viverá um verdadeiro curso de exercícios espirituais. «Inicia-se logo cedo com a missa na basílica vaticana»: a celebrá-la serão, entre outros, os cardeais Pietro Parolin, secretário de Estado, Francesco Coccopalmerio, presidente do Pontifício Conselho para os textos legislativos, e Beniamino Stella, prefeito da Congregação para o clero, e o arcebispo Jorge Carlos Patrón Wong, secretário para os seminários da Congregação para o clero. Não faltarão, explica monsenhor Di Tolve, «itinerários espirituais significativos» que abrangem Santa Cruz em Jerusalém, a Escada santa, São João de Latrão e Santa Maria Maior. Acompanhará o grupo também monsenhor Ennio Apeciti, reitor do Pontifício seminário lombardo em Roma.

A Francisco foi apresentado e oferecido o dvd do filme Poveda, dedicado ao presbítero espanhol fundador da Instituição teresiana, mártir em 1936 durante a guerra civil espanhola e canonizado em 2003. Estavam presentes o cineasta Pablo Moreno e o produtor José Maria Muñoz. Juntamente com eles também a diretora-geral da Instituição teresiana, Maite Uribe Bilbao. «São Pedro Poveda – explica – foi um homem que soube unir o povo, propor um ideal de verdadeira liberdade, e também um grande educador: características que se veem bem na película e que assumem um significado totalmente particular neste ano jubilar centrado na misericórdia».

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

24 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS