Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Trabalho seguro e digno para todos

· O Papa encontrou-se com os funcionários juntamente com as suas famílias ·

Trabalho, família, mexericos e perdão: foram as quatro palavras evocadas pelo Papa Francisco no discurso improvisado no final da manhã de quinta-feira 21 de dezembro, durante o encontro na Sala Paulo VI para a troca dos votos natalícios com os funcionários da Santa Sé e do Estado da Cidade do Vaticano, juntamente com os seus familiares.

Depois de ter agradecido aos presentes o trabalho que fazem, o Pontífice referiu-se ao dramático problema do emprego precário, repetindo que não quer trabalho irregular no Vaticano e que não se pode deixar alguém desempregado. Porque só um emprego seguro garante dignidade e satisfação pessoal.

Pelo que se refere à família, Francisco mencionou as que estão em crise e as consequências que isto causa sobretudo às crianças. A propósito pediu a quem se encontra em dificuldade para que se deixe ajudar também a nível pastoral e que não envolva os filhos nas discussões.

Quanto aos mexericos, o Papa repetiu a frase que lhe disse um funcionário, segundo o qual se alguém não faz mexericos no Vaticano fica isolado. E como se trata de uma afirmação séria e grave, a ponto que um mexeriqueiro pode ser comparado com um terrorista, Francisco sugeriu até como evitar a tentação: mordendo a própria língua.

Por fim, o Pontífice tratou o tema do perdão, pois nem sempre se dá bom exemplo. Uma questão que é particularmente prejudicial quando diz respeito ao clero: há erros, pecados, injustiças cometidas por clérigos, pelos quais Francisco pediu desculpas.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

17 de Novembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS