Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Todos os homens de fé devem caminhar juntos

· Novas mensagens ao Papa Francisco do mundo judaico, muçulmano e cristão ·

«Da nossa parte não faltará a colaboração e a contribuição para prosseguir o caminho empreendido, para que se possa consolidar o diálogo que tanto contribuiu para instaurar um novo clima de confiança entre judeus e católicos, no respeito recíproco das respectivas identidades e no autêntico reconhecimento da igual dignidade»: é quanto escreve a Assembleia dos rabinos da Itália numa mensagem enviada ontem (sexta-feira) ao Papa Francisco, na qual são realçados «os resultados positivos obtidos nos anos também graças aos pontífices que se sucederam no passado recente. Estamos certos – lê-se – que judeus e católicos, colaborando no compromisso pelo bem da humanidade, também através das próprias especificidades, poderão demonstrar que a construção de um futuro de amizade verdadeira entre os povos e os indivíduos  é realmente possível». A mensagem, assinada entre outros pelo presidente da Assembleia dos rabinos da Itália, Elia Richetti, conclui-se com «o voto de ter a ocasião de o encontrar proximamente» e com uma saudação de bons votos através das palavras do rabino Simeão filho de Gamaliel ( Tratado dos Padres , 1, 18): «Por três coisas subsiste a sociedade humana, pela verdade, pela justiça e pela paz». Mensagens de bons votos continuam a chegar também do mundo muçulmano. A Comunidade religiosa islâmica (Coreis) italiana expressa «as mais sentidas felicitações a todos os cristãos católicos, nossos irmãos de fé no Deus Único». Do mundo ortodoxo chega a confirmação de que o Patriarca ecuménico, Bartolomeu, estará presente terça-feira no Vaticano para a missa de início do ministério petrino: é a primeira vez que acontece depois do cisma de 1054 entre católicos e ortodoxos e representa certamente um sinal importante para a unidade dos cristãos.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

19 de Setembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS