Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Tempo de misericórdia

· Com a abertura da porta santa da basílica vaticana na solenidade da Imaculada tem início o jubileu extraordinário ·

Começa para a Igreja o tempo extraordinário da misericórdia. Na manhã de terça-feira 8 de Dezembro na praça de São Pedro – no mesmo lugar e nas mesmas horas em que há cinquenta anos se encerrava, após três anos de trabalho, o concílio Vaticano II – o Pontífice abrirá a porta santa da basílica vaticana inaugurando solenemente o ano jubilar, que se concluirá a 20 de Novembro de 2016.

A 48 horas do início da cerimónia – na qual participará também Bento XVI – o Papa Francisco falou do ano santo no Angelus de domingo 6 na praça de São Pedro e recordou em particular a atitude interior com a qual cada crente é chamado a viver esta experiência de graça. «Nenhum de nós – frisou a tal propósito – pode dizer: sou santo, sou perfeito, já estou salvo». Ao contrário, todos temos necessidade de «abrir o coração e acolher a salvação que Deus nos oferece incessantemente, quase com teimosia, porque nos quer todos livres da escravidão do pecado». É este o sentido profundo do jubileu, que exorta cada homem a «ir em frente» no «caminho da salvação».

No final da oração mariana o Pontífice lançou um forte apelo à conferência da Onu que está a decorrer em Paris, pedindo que se façam «todos os esforços» a fim de «atenuar os impactos das mudanças climáticas e, ao mesmo tempo, de contrastar a pobreza e fazer florescer a dignidade humana». «Que tipo de mundo desejamos transmitir a quantos vierem depois de nós, às crianças que crescem?» questionou-se, repetindo um trecho da Laudato si'. E convidou à oração a fim de que o «Espírito Santo ilumine quantos são chamados a tomar decisões tão importantes e lhes dê a coragem para ter sempre como critério de escolha o bem maior para a inteira família humana».

Na parte da tarde, através de uma ligação vídeo, o Papa inaugurou o presépio e a árvore de Natal na basílica de São Francisco em Assis, enviando um abraço ideal aos refugiados e convidando-os a manter «a cabeça erguida na esperança do Senhor».

Angelus do Papa

Abertura do jubileu da misericórdia

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

24 de Outubro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS