Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Stop às esposas meninas
no Zimbabué

A corte constitucional do Zimbabué proibiu os matrimónios prematuros, deliberando que ninguém se pode casar antes de ter completado 18 anos. A sentença é histórica num país no qual 31 por cento das moças se casa antes de ter alcançado a maioridade. A decisão põe fim a um caso judiciário iniciado em 2015, quando duas jovens ex-esposas, Loveness Musduru e Ruvimbo Tsopdzi, pediram à corte para declarar a lei sobre o matrimónio uma violação da carta fundamental do Zimbabué. Nos países em vias de desenvolvimento, de três meninas uma casa antes dos 18 anos, de nove uma antes dos 15.1. Os dados de 2000 a 2011 confirmam que mais de 60 por cento das mulheres entre os 20 e os 24 anos que vivem nos países com as mais altas percentagens de matrimónios prematuros se casaram antes dos dezoito anos: Níger (75 por cento), Chade (72), Bangladeche (66), Guiné (63) e República Centro-Africana (61). Atualmente no mundo mais de 700 milhões de jovens casaram-se andes dos dezoito anos de idade e cerca de 250 milhões contraíram matrimónio antes dos 15.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

20 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS