Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Soluções pacíficas para a Líbia

· O Papa Francisco reza pela Ucrânia e recorda os coptas egípcios assassinados ·

Paz para a Ucrânia, o Médio Oriente e o Norte da África, em particular para a Líbia. As áreas de conflito mais candentes no mundo estiveram no centro das preocupações expressas pelo Papa durante a audiência geral de quarta-feira, 18 de Fevereiro, na praça de São Pedro.

Depois de ter pronunciado a catequese dedicada à família e centralizada em particular na figura dos irmãos, Francisco saudou a peregrinação ucraniana que veio a Roma com os bispos por ocasião da visita ad limina Apostolorum, garantindo que traz no coração o desejo de «uma paz duradoura» para o país. Em seguida, recordou novamente os vinte e um coptas egípcios assassinados há três dias «pelo simples facto de serem cristãos» e convidou os fiéis a rezar pelas vítimas do conflito, pelos feridos e pelos refugiados. «Possa a comunidade internacional – desejou em particular – encontrar soluções pacíficas para a difícil situação na Líbia».

Precisamente o drama das populações em fuga das violências que martirizam o país norte-africano esteve no centro do encontro – realizado no fim da tarde de terça-feira 17 de Fevereiro, na residência do Pontífice em Santa Marta – com uma delegação da Guarda Costeira italiana activa no Mediterrâneo. Oito oficiais e suboficiais narraram as suas comovedoras experiências a Francisco, que manifestou apreço e encorajamento pelo serviço prestado no mar e em particular pelas difíceis operações de socorro de refugiados e migrantes.

«Agradeço-vos o que fazeis porque arriscais a vida» disse. «Isto – acrescentou – honra-vos, honra a vossa força. Deveras sinto admiração por vós; sinto-me pequeno» diante «do trabalho que realizais arriscando a vida, e agradeço-vos de coração. Mas apoio-vos como posso: com as orações, as boas palavras e o afecto».

Audiência geral

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

24 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS