Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

​Sinal visível de participação

· ​O apoio financeiro dos fiéis à Igreja no Brasil ·

Aparecida, 9. Um seminário nacional sobre o apoio da Igreja no Brasil será realizado de 30 de Outubro a 2 de Novembro em Aparecida. Um dos objectivos para os próximos anos, entre outros, é o desenvolvimento da pastoral do dízimo. 

Um tema que foi tratado durante a última assembleia geral, no ano passado. Naquela ocasião, no final dos trabalhos, o presidente da CNBB, cardeal Raymundo Damasceno Assis, arcebispo de Aparecida, escreveu uma mensagem (8 de Maio de 2014) aos agentes do dízimo na qual tinha frisado o seu valor: «O dízimo – lê-se – é um sinal visível de participação e co-responsabilidade dos fiéis na comunidade eclesial; ajuda os católicos a desenvolver a sua consciência de pertença à Igreja; é expressão viva de fé e gratidão a Deus; põe a Igreja em condições de cumprir a sua missão de evangelização; encoraja a partilhar os bens com os pobres».

Segundo D. Antônio Luiz Catelan Ferreira, subsecretário da CNBB para a pastoral do dízimo, não se trata «literalmente da décima parte de uma soma, mas o nome, de maneira simbólica, designa a ajuda dos fiéis às actividades da Igreja». O objectivo da iniciativa é reflectir sobre a situação das paróquias e da actividade da Igreja. «No Brasil – explicou o prelado – não existe o 8x1.000 [declaração de renda a favor da Igreja católica], a Igreja deve procurar recursos de modo diverso. Há quarenta anos a sugestão dos nossos bispos foi abolir qualquer taxa sobre baptismo e missas e dar início a uma pastoral na qual os fiéis fossem conscientizados a oferecer um contributo livre para a evangelização. Este tema foi retomado após muitos anos e no próximo seminário de Aparecida as dioceses poderão partilhar as suas experiências». A contribuição voluntária dos fiéis serve para «a manutenção do templo e tudo o que for necessário para a catequese, a liturgia, as obras pastorais. Estamos certos de que por parte do povo brasileiro há uma atenção crescente em relação a este tema. As pessoas querem contribuir». A ponto que, confirma D. Catelan Ferreira, a «pastoral do dízimo é um tema que será debatido também na assembleia dos bispos do próximo ano».

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

5 de Dezembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS