Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

​Sete novos santos

· A 14 de outubro o Papa canonizará Paulo VI, o arcebispo Romero, dois sacerdotes, duas religiosas e um jovem operário ·

O Pontífice proclamará sete santos na manhã de 14 de outubro, na praça de São Pedro: Paulo VI, o arcebispo Romero, dois sacerdotes, Francisco Spinelli e Vicente Romano, duas religiosas, Maria Catarina Kasper e Nazária Inácia de Santa Teresa de Jesus March Mesa, e o jovem operário Nunzio Sulprizio.

Na vigília da canonização, o Papa recebeu na sala Clementina os alunos dos seminários lombardos. Improvisando respostas a oito perguntas, o Santo Padre frisou que é e importante a proximidade do sacerdote a Deus e ao seu povo. O presbítero deve seguir o exemplo de Jesus, que encontrava o Pai na oração e ajudava o povo e até os inimigos. Com efeito, os sacerdotes devem ser pastores do povo e não clérigos de Estado. Corre-se o risco de formar sacerdotes concentrados em si mesmos, como os fariseus, e não verdadeiros pastores que conhecem os seus fiéis, se interessem por eles e os chamam por nome. Outro modo para encontrar Deus é na Lectio divina, na leitura meditada das Escrituras, pois a cada nível serve uma certa familiaridade com a Palavra de Deus, que é um dos pontos fundamentais da formação do sacerdote, juntamente com o estudo, a oração, a atividade pastoral e a vida comunitária. Depois, o Papa abordou os temas da memória e do discernimento, explicando que nunca podemos esquecer a nossa proveniência: é útil para evitar a vaidade e para se abrir à gratidão. Quanto ao discernimento, recordou um seu grande guia, decano de filosofia. Com ele falava de maturidade, e um dos sinais de uma pessoa madura é também a capacidade de brincar, de não ser duro. Por fim, o Pontífice recomendou uma Igreja “em saída”. Como realizar esta vocação? Sem medo de ir ao encontro das pessoas, não obstante a indiferença e a rejeição. Até na época de Jesus a sociedade era secularizada, embora de outra forma. Por isso, o Papa convidou a seguir o exemplo de Jesus e da comunidade dos Apóstolos, porque hoje o essencial é o mesmo de ontem.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

24 de Outubro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS