Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Seiscentos milhões de pessoas sem água potável

· O alarme lançado pela conferência Rio+20 ·

A cimeira Rio+20 sobre o desenvolvimento sustentável aprovou ontem um plano para ajudar um bilião de pessoas a sair da pobreza e para cuidar da biosfera. Contudo, o documento de 53 páginas redigido durante a reunião dos 191 países da Onu realizada na cidade brasileira vinte anos depois da assembleia sobre a Terra contém compromissos que muitas Ongs e alguns Governos consideram demasiado indefinidos. Para o secretário de Estado americano, Hillary Clinton, o documento assinala um progresso real para o desenvolvimento sustentável. Uma das emergências fundamentais sobre a qual a cimeira procurou concentrar a atenção são os recursos hídricos. Segundo os dados do Unep, United Ntions Environment Programme, de 1992 a 2012 foram realizados poucos ou nenhum progresso em relação à poluição marinha e das águas subterrâneas: para 2015 prevê-se que mais de seiscentos milhões de pessoas não terão acesso à água potável.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

20 de Outubro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS