Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Rezai pelo Papa e pelas crianças que sofrem

· Encontro com os pequeninos em Cotonou ·

Na tarde de 19 de Novembro, o Papa visitou o Foyer Paz e Alegria, das missionárias da Caridade, adjacente à paróquia de Santa Rita em Cotonou. Depois, na igreja paroquial, encontrou-se com as crianças da cidade e com os seus acompanhadores. Após as saudações do bispo responsável pela pastoral social da Conferência episcopal do Benim, D. René-Marie Ehuzu, e da menina Aïcha Hounsounou que, em nome de todas as crianças do país, pediu ao Papa para continuar a ser «o seu porta-voz junto dos poderosos, a todos os níveis, de modo a fazer com que tenham mais a peito tudo o que diz respeito aos direitos dos mais pequeninos», Bento XVI pronunciou o discurso cuja tradução publicamos.

Queridas crianças

Agradeço a D. René-Marie Ehuzu, Bispo de Porto Novo e Responsável pela Pastoral Social da Conferência Episcopal do Benim, as suas palavras de boas-vindas. Digo obrigado também ao Reverendo Pároco e a Aïcha pelo que me disseram em nome de todos vós. Depois deste belo momento de adoração, é com grande alegria que vos saúdo. Obrigado por terdes vindo tantos!

Deus, nosso Pai, reuniu-nos ao redor do seu Filho e nosso Irmão, Jesus Cristo, presente na Hóstia consagrada durante a Missa. É um grande mistério diante do qual se adora e crê. Jesus, que tanto nos ama, está verdadeiramente presente nos sacrários de todas as igrejas do mundo, nos sacrários das igrejas dos vossos bairros e das vossas paróquias. Convido-vos a visitá-Lo muitas vezes, para Lhe exprimirdes o vosso amor.

Alguns de vós já fizeram a Primeira Comunhão; outros estão a preparar-se. O dia da minha Primeira Comunhão foi um dos mais belos da minha vida. Porventura não se passou o mesmo convosco? E por quê? Não foi tanto por causa das roupas lindas, nem dos presentes, nem sequer da refeição de festa; mas sobretudo porque, naquele dia, recebemos pela primeira vez Jesus-Eucaristia. Quando recebo a comunhão, Jesus vem habitar em mim; devo acolhê-Lo com amor e escutá-Lo com atenção. No íntimo do meu coração, posso dizer-Lhe por exemplo: «Jesus, eu sei que me amais. Dai-me o vosso amor para que eu Vos ame e ame os outros com o vosso amor. Confio-Vos as minhas alegrias, as minhas penas e o meu futuro». Não hesiteis, queridas crianças, em falar de Jesus aos outros. Ele é um tesouro que é preciso saber partilhar com generosidade. Na história da Igreja, o amor de Jesus encheu de coragem e força muitos cristãos, incluindo crianças como vós. Assim São Kizito, um rapaz ugandês, foi morto porque queria viver segundo o Baptismo que tinha recebido. Kizito rezava; compreendera que Deus não é apenas uma pessoa importante, mas que Ele é tudo.

O que é a oração? É um grito de amor lançado para Deus, nosso Pai, com a vontade de imitar Jesus nosso Irmão. Jesus retirava-Se sozinho para rezar. Como Jesus, posso também eu encontrar cada dia um lugar calmo onde me recolho diante de uma cruz ou de uma imagem sagrada para falar a Jesus e escutá-Lo. Posso também servir-me do Evangelho. Depois guardo no meu coração uma passagem que me toca e pode orientar durante o dia. Ficar assim algum tempo com Jesus, permite-Lhe encher-me do seu amor, da sua luz e da sua vida. Este amor que recebo na oração, sou chamado, por minha vez, a dá-lo aos meus pais, aos meus amigos, a todos aqueles com quem vivo, mesmo àqueles que não gostam de mim e àqueles de quem não gosto muito. Queridas crianças, Jesus ama-vos. Pedi também aos vossos pais que rezem convosco. Às vezes, é preciso insistir um pouco; não hesiteis em fazê-lo. Deus é tão importante!

Que a Virgem Maria, Mãe de Deus, vos ensine a amá-Lo cada vez mais através da oração, do perdão e da caridade. Confio-vos todos a Ela, bem como os vossos familiares e educadores. Olhai! Tiro um terço do meu bolso. O terço é uma espécie de instrumento que se pode usar para rezar. Rezar o terço é simples. Talvez já o saibais fazer, senão pedi aos vossos pais que vos ensinem. Aliás, no fim do nosso encontro, cada um de vós receberá um terço. Com ele na mão, podereis rezar pelo Papa, pela Igreja e por todas as intenções importantes. E agora, antes de vos abençoar a todos com grande afecto, rezemos juntos uma Ave-Maria pelas crianças do mundo inteiro, especialmente por aquelas que sofrem por causa da doença, da fome e da guerra. Rezemos, então: Ave Maria…

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

23 de Setembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS