Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Respostas adequadas a uma situação injusta

· O Papa Francisco durante o consistório ordinário público ·

«Uma resposta adequada também da parte da Comunidade internacional» face às perseguições dos cristãos no Médio Oriente foi desejada pelo Papa na manhã de 20 de Outubro, durante o consistório ordinário público que teve lugar na sala nova do Sínodo. «No dia seguinte ao encerramento da terceira Assembleia geral extraordinária do Sínodo dos bispos sobre a família – explicou – eu quis dedicar este consistório a algumas causas de canonização e a uma questão que muito me preocupa, ou seja o Médio Oriente, em especial a situação dos cristãos na região».

Durante a cerimónia o bispo de Roma, depois de ter recebido o parecer dos cardeais, decidiu inscrever no álbum dos santos dois beatos. A data estabelecida para a canonização de José Vaz é 14 de Janeiro de 2015, e para a religiosa ainda não foi anunciada.

Na segunda parte do consistório, que teve lugar com as portas fechadas, houve 27 intervenções, entre as quais as de todos os patriarcas médio-orientais, dos seis chefes das Igrejas médio-orientais católicas e de alguns chefes de dicastérios da Cúria romana, referiu o director da sala de imprensa da Santa Sé, padre Federico Lombardi, durante um briefing no fim da manhã. Foi uma «reunião participada – disse – não limitada pelo tempo nem por outras urgências», na qual «todos manifestaram grande gratidão pelas intervenções contínuas do Papa sobre este tema». O jesuíta resumiu também os temas principais da intervenção do cardeal secretário de Estado, frisando que «foi muito apreciada». Depois disse ainda que «os patriarcas passaram em revista a situação dos seus vários países», em especial o Iraque, a Síria, a Terra Santa, a Palestina, a Jordânia e o Líbano. Falou-se em particular sobre a escuta e as boas relações com as demais Confissões religiosas e com os patriarcas ortodoxos que defendem também os direitos dos cristãos. Além disso, procurou-se encontrar resoluções fundadas sobre o diálogo com o islão, a partir da educação dos jovens nas escolas e nas famílias.

Texto integral do discurso do Papa

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

26 de Maio de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS