Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Reino unido

· O referendo sobre a independência da Escócia rejeitado com 55,3% dos votos ·

David Cameron garante que à região serão garantidos mais poderes

A Escócia disse não à independência. E o resultado foi mais evidente do que as previsões, com 55,3% de votos contrários. «Com trinta circunscrições num total de trinta e duas, a frente do não obteve 1.877.252 votos, enquanto a do sim conseguiu 1.512.688 votos» indicou a Bbc esta manhã. Muito elevada a afluência às urnas, que registou 84,6%. «Chegou o tempo para o nosso Reino Unido de ir em frente» declarou o primeiro-ministro, David Cameron, que se disse feliz com o resultado obtido, falando imediatamente após a contagem das urnas, com o premier escocês Alex Salmond, felicitando-se com ele «por uma campanha feita com firmeza» a favor do sim. 

Cameron disse que «os escoceses mantiveram unido o nosso país, formado por quatro nações e, como milhões de outras pessoas, estou felicíssimo». Em seguida, o primeiro-ministro garantiu que os escoceses «terão mais poderes na gestão dos próprios assuntos».

Por sua vez Salmond reconheceu a derrota. «Aceito a opinião do povo e exorta a Escócia a aceitar a vontade democrática do povo escocês» disse Salmond em Edimburgo. Ao mesmo tempo o primeiro-ministro escocês convidou o Governo de Londres a manter as promessas feitas durante a campanha referendária. Promessas que se traduzem, substancialmente, em conceder mais poderes à Escócia. 

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

15 de Novembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS