Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Questão de olhares

· Ao congresso sobre a pastoral vocacional o Papa recorda que a chamada do Senhor nasce de um encontro ·

«Sair, ver, chamar»: funda-se sobre estes três verbos «o dinamismo de qualquer pastoral vocacional». Recordou o Papa Francisco no discurso dirigido aos participantes no congresso internacional promovido pela Congregação para o clero, durante a audiência realizada na manhã de sexta-feira 21 de outubro, na Sala do Consistório.

Referindo-se ao seu mote Miserando atque eligendo— escolhido também como tema do encontro – Francisco mencionou a experiência pessoal da chamada recebida nos anos juvenis. E contou que ela «não aconteceu depois de uma conferência ou devido a uma bonita teoria, mas por ter experimentado o olhar misericordioso de Jesus sobre mim». Eis por que a pastoral vocacional se deve traduzir, em substância, em «aprender o estilo de Jesus, que passa pelos lugares da vida diária, detém-se sem pressa e, olhando para os irmãos com misericórdia, os conduz ao encontro com Deus Pai».

Disto derivam algumas exigências que interpelam diretamente a Igreja, chamada a pôr-se «em movimento» para «alargar os seus confins, medindo-os não pelos limites dos cálculos humanos ou pelo medo de errar, mas pela medida larga do coração misericordioso de Deus». O Papa dirigiu-se em particular aos sacerdotes: «é triste – constatou – quando um sacerdote vive só para si mesmo, fechando-se na fortaleza segura do presbitério, da sacristia ou do grupo restrito de fidelíssimos». Pode-se dizer o mesmo de «pastores e agentes pastorais tomados pela pressa, excessivamente preocupados com as coisas a fazer, que correm o risco de cair num ativismo organizativo vazio, sem conseguir parar para encontrar as pessoas». Também por isso o Pontífice pediu «vigilância e prudência» aos bispos na formação e na escolha de «sacerdotes maduros e equilibrados, de pastores intrépidos e generosos, capazes de proximidade, escuta e misericórdia».

Discurso do Papa

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

24 de Outubro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS