Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Qual será o Brasil de amanhã

· A votação para as presidenciais ·

As eleições presidenciais no Brasil, que terão lugar este domingo, e o eventual segundo escrutínio de 26 de Outubro demonstrarão se o maior país da América Latina ainda aposta no Partido dos trabalhadores, que o guia desde há três mandatos presidenciais e, sobretudo, se confirma a confiança a Dilma Rousseff, vencedora em 2011, a qual se recandidatou para um novo mandato. 

As sondagens indicam que a Rousseff alcançou 47% no primeiro turno. Segue a ambientalista Marina Silva - candidata do Partido Socialista depois da morte num acidente de avião do líder Eduardo Campo – à qual se atribui 24% das intenções de voto dos 141 milhões de eleitores. Na sondagem Aécio Neves, do Partido da Social Democracia Brasileira, é o terceiro mais votado e surge com 21%. Portanto, os adversários da presidente cessante, não foram capazes de interceptar os movimentos de protesto - causados pelos aumentos nos transportes públicos - que percorreram o Brasil no último ano e meio, especialmente durante a preparação da Copa do mundo de futebol. De facto, alvo dos protestos, foram tanto o governo federal quanto aqueles locais, em muitos casos liderados pela oposição. A esclarecer o quadro político, além do voto para a presidência, será a votação concomitante para 27 governadores, 513 deputados dos Parlamentos locais, 1.069 deputados do governo federal e 27 senadores (um terço da Câmara Alta).

Pierluigi Natalia

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

23 de Outubro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS