Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Porquê este número especial

Parece que a viagem do Papa à Coreia abra grandes perspectivas: «A Igreja na Ásia é uma promessa» disse Francisco, bem consciente que no país se está a assistir, durante os últimos anos, a um crescimento do cristianismo e da participação na vida da Igreja como não se via há muito tempo noutros continentes e países. 

Desde que a religião cristã foi levada para a Coreia por um grupo de intelectuais leigos e se foi enraizando, durante séculos, sem um clero, sobrevivendo a graves perseguições, o catolicismo coreano ainda tem as marcas de um desenvolvimento original e, sem sombra de dúvidas, vivo. Uma religião que atrai sobretudo as mulheres, que encontram na cultura cristã aquele respeito e aquela consideração das suas necessidades que são desconhecidos na sociedade coreana, e portanto tornam-se as mais convictas apoiantes do cristianismo. E é a elas que dirigimos a nossa atenção, conscientes que à Coreia, graças ao aumento das relações com o ocidente, não chegam somente as novidades no campo religioso, mas também todas as tentações materialistas e consumistas que no ocidente têm agido a favor da secularização: a viagem do Papa vem portanto reforçar as consciências, iluminar os corações e as mentes para que também aqui não se repitam erros já cometidos, ao confundir a modernização com o consumo compulsivo. Uma luta onde as mulheres desempenharão um papel importante. (l.s.)

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

22 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS