Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Por quantos sofrem no corpo e no espírito

· No Angelus da Assunção o pensamento do Papa pelas vítimas do desabamento de Génova ·

Na solenidade da Assunção o Papa convidou os fiéis presentes no Angelus de 15 de agosto na praça de São Pedro a rezar por quantos «em muitas partes do mundo sofrem no corpo e no espírito». Depois da prece mariana o Pontífice teve um pensamento, em particular, pelas vítimas do desabamento da ponte Morandi em Génova.

«Ao recomendar à misericórdia de Deus as pessoas que perderam a vida – disse – expresso a minha proximidade espiritual aos seus familiares, aos feridos, aos desalojados e a quantos sofrem» por causa do dramático evento que se verificou no passado dia 14 de agosto. «Convido-vos a unir-vos a mim na oração» acrescentou por fim dirigindo-se aos numerosos fiéis presentes, convidando-os a recitar uma Avé-Maria.

Anteriormente Francisco recordou que «a assunção ao céu, em alma e corpo, é um privilégio divino concedido à santa Mãe de Deus devido à sua particular união com Jesus». Trata-se de «uma união corporal e espiritual, que começou com a anunciação e amadureceu em toda a vida de Maria através da sua participação singular no mistério do Filho». Por conseguinte, este «mistério» mostra que «Deus quer salvar o homem inteiro, ou seja, salvar alma e corpo», e assim prefigura «qual será o nosso destino glorioso», confirmando que a «ressurreição da carne é um elemento próprio da revelação cristã, um ponto essencial da nossa fé».

«A realidade maravilhosa da Assunção de Maria manifesta e confirma a unidade da pessoa humana e recorda-nos que somos chamados a servir e a glorificar Deus com todo o nosso ser, alma e corpo» reafirmou o Papa Francisco. Com efeito, explicou, «servir Deus apenas com o corpo seria uma ação de escravos; servi-lo só com a alma estaria em contraste com a nossa natureza humana».

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

24 de Outubro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS