Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Pôr fim às perseguições contra os rohingyas

· No Angelus também a oração pelas vítimas das enchentes ·

Um apelo a fim de que se ponha fim às perseguições contra a «minoria religiosa» dos «nossos irmãos rohingyas» foi lançado pelo Papa no Angelus de domingo 27 de agosto. «Gostaria de lhes expressar toda a minha proximidade» disse dirigindo-se aos fiéis reunidos ao meio-dia na praça de São Pedro. «E todos nós peçamos ao Senhor para os salvar e suscitar homens e mulheres de boa vontade em sua ajuda, para que lhes sejam dados plenos direitos» prosseguiu exortando a assembleia dos presentes à oração.

O Papa dirigiu também um pensamento a quantos nos últimos dias foram atingidos pelas enchentes no Bangladesh, Nepal e Índia. «Exprimo a mia proximidade às populações – garantiu – e rezo pelas vítimas e por quantos sofrem por causa desta catástrofe».

Precedentemente, comentando o episódio evangélico no centro da liturgia dominical, Francisco recordou a profissão de fé de Pedro: «Tu é o Cristo, o Filho do Deus vivo». Palavras, comentou, «maiores do que ele, palavras que não provêm das suas capacidades naturais», mas «são inspiradas pelo Pai celeste». E desta resposta, observou, «Jesus compreende que, graças à fé doada pelo Pai, há um fundamento sólido sobre o qual pode construir a sua comunidade, a sua Igreja».

Angelus do Papa

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

22 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS