Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

@pontifex chilreios em oito línguas

· A iniciativa apresentada na Sala de Imprensa da Santa Sé ·

Sala de Imprensa da Santa Sé cheia como para as grandes ocasiões,  um painel de grande relevo para apresentar o evento mediático talvez mais esperado destes últimos tempos: o «desembarque»  – como se diz na gíria  – do Papa no Twitter, o social network dos cento e quarenta toques. A notícia, mais do que no ar,  era conhecida já há muito tempo. E nem se trata  de uma novidade absoluta porque Bento XVI já frequentou o mundo do microblogging no ano passado. Contudo, desta vez a frequentação torna-se fixa, com um account personalizado - @pontifex,  em inglês e noutras sete línguas, inclusive  o árabe – e a data do primeiro «chilreio» estruturado foi estabelecida para a próxima quarta-feira, 12 de Dezembro, em coincidência com a audiência geral.  E a significar a importância atribuída pelo povo do Twitter (quinhentos milhões de pessoas em todo o mundo, 40% das quais  entre 18 e 40 anos) uma agência de imprensa registrou quarenta mil followers declarados  só vinte minutos depois do anúncio do account do Papa Ratzinger.

Motivações, dados técnicos e referências históricas da iniciativa foram ilustrados na manhã de segunda-feira, 3 de Dezembro, durante uma conferência de imprensa. Sobretudo as motivações. Explicou-as o arcebispo Celli, que realçando um aspecto totalmente particular da personalidade de Bento XVI acentuou o grande desejo do Pontífice de ir ao encontro do homem e da mulher onde quer que estejam e de estabelecer um diálogo com eles. Um diálogo tecido sim no tear dos cento e quarenta toques, mas perfeitamente estruturado na própria forma dos versículos bíblicos, testemunhando que a essencialidade da mensagem pode ser compreendida em poucas palavras: tudo depende, disse, da densidade de quem a lança e de quem a recebe. Neste sentido, concluiu o arcebispo, as do Papa serão «pílulas de sabedoria».

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

16 de Setembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS