Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Pelos caminhos inexplorados

· O Papa Francisco ao Pontifício conselho para a nova evangelização ·

Os desafios colocados hoje pelo anúncio do Evangelho exigem «coragem, criatividade e decisão de empreender caminhos inexplorados». Eis quanto recordou o Papa Francisco aos participantes na plenária do Pontifício Conselho para a promoção da nova evangelização, recebidos em audiência na manhã de sexta-feira, 29 de Maio, na Sala do Consistório.

Convidando «a compreender os sinais dos tempos que o Senhor oferece à Igreja», o Pontífice recomendou em particular o cuidado na educação à fé, a partir da consciência de que a catequese «necessita ir além da esfera escolar, para educar os crentes, desde crianças, a encontrar Cristo, vivo e operante na sua Igreja». Com efeito, é este encontro que «suscita o desejo de o conhecer melhor e portanto de o seguir para se tornar seus discípulos». O desafio da catequese, por conseguinte, «encontra-se precisamente neste ponto fundamental: como encontrar Cristo, qual é o lugar mais coerente para o encontrar e para o seguir».

Para Francisco os homens de hoje esperam sobretudo que a Igreja «saiba caminhar com eles, oferecendo a companhia do testemunho da fé, que torna solidários com todos, em particular com os mais sozinhos e marginalizados». Aliás, a nova evangelização «consiste em tomar consciência do amor misericordioso do Pai para nos sermos também instrumentos de salvação».

Nesta perspectiva, o Papa inseriu «o grande tema da catequese», entendida como «o espaço no qual a vida dos cristãos amadurece porque faz experiência da misericórdia de Deus»: não uma ideia abstracta, declarou, mas «uma experiência concreta com a qual compreendemos a nossa debilidade e a força que vem do alto».

Neste ponto foi natural a referência do Pontífice ao papel assumido pelo dicastério na organização do próximo Jubileu extraordinário da misericórdia: «uma ano santo que confiei a vós – disse – para que seja mais evidente que o dom da misericórdia é o anúncio que a Igreja está chamada a transmitir na sua obra de evangelização neste tempo de grandes mudanças».

De qualquer maneira, sublinhou, o «protagonista da evangelização» permanece o Espírito Santo, que é «o artífice do crescimento da Igreja ao compreender a verdade de Cristo». De facto, é ele que amplia «o coração dos crentes» e «abre a mente dos discípulos de Cristo a compreender mais a fundo o compromisso exigido e as formas com as quais dar relevo e credibilidade ao testemunho».

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

26 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS