Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Para transmitir a fé cristã

· Apresentado o «Instrumentum laboris» em vista da décima terceira assembleia geral ordinária do Sínodo dos bispos ·

Não é uma questão organizativa ou estratégica. Nem um problema de procura de modelos alternativos às actuais formas de acção pastoral. Nem se trata de elaborar um «novo Evangelho», dado que «Jesus Cristo é o mesmo ontem hoje e sempre». Então, o que significa «nova evangelização»? Essencialmente quer dizer dar «uma resposta adequada aos sinais dos tempos, às necessidades dos homens e dos povos hoje, aos novos cenários que mostram a cultura através da qual expressamos a nossa identidade e procuramos o sentido das nossas existências». Por outras palavras, «ter a coragem de repropor a questão sobre Deus neste mundo» através de um testemunho de fé que encontre «qualidade e motivos», oferecendo assim às pessoas do nosso tempo uma possibilidade razoável e atraente de sair do «deserto interior» no qual vivem.

A próxima assembleia geral ordinária do Sínodo dos bispos, em programa de 7 a 28 de Outubro sobre o tema «A nova evangelização para a transmissão da fé cristã», será chamada a confrontar-se sobre estas linhas básicas sugeridas pelo Instrumentum laboris, cujo texto foi apresentado na manhã de terça-feira, 19 de Junho, na Sala de Imprensa da Santa Sé.

Fruto da síntese das respostas aos Lineamenta provenientes das Conferências episcopais, dos Sínodos dos bispos das Igrejas orientais católicas sui iuris, dos organismos da Cúria romana e da União dos superiores-gerais – e também de instituições e institutos de vida consagrada, leigos, membros de associações e movimentos eclesiais – o documento oferece um quadro completo da actividade evangelizadora. Sobretudo, indica aos padres sinodais uma multiplicidade de temas que devem ser aprofundados «a fim de que a Igreja possa continuar a realizar de modo adequado a sua obra de evangelização, tendo presente os muitos desafios e dificuldades do momento actual». E delineia oito cenários – desde o cultural, caracterizado pela secularização, até ao migratório, económico, político, da pesquisa científica e tecnológica, comunicativo e religiosos – com muitos outros desafios.

Instrumentum laboris

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

17 de Janeiro de 2020

NOTÍCIAS RELACIONADAS