Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Para receber a Palavra no coração

· Na audiência geral o Papa falou da escuta da sagrada Escritura na missa ·

A «liturgia da Palavra é uma parte constitutiva» da missa «porque nos reunimos precisamente para ouvir o que Deus fez e ainda pretende fazer por nós», ressaltou o Papa na audiência geral de quarta-feira, 31 de janeiro na praça de São Pedro.

Retomando as catequeses sobre a importância da celebração eucarística, depois de ter aprofundado os ritos de introdução, esta semana o Pontífice explicou o «diálogo entre Deus e o seu povo», como «experiência que acontece “em direto”». Eis, portanto, a necessidade que os fiéis ouçam as leituras com atenção. Mas infelizmente, observou acrescentando algumas considerações pessoais ao texto preparado, muitas «vezes, enquanto a Palavra de Deus é lida, começa-se a fazer comentários» que distraem. «Porque se tu falas com os outros – esclareceu – não ouves».

Eis então por que, recomendou o Papa, «quando se lê a Palavra de Deus na Bíblia – a primeira leitura, a segunda, o salmo responsorial e o evangelho – devemos ouvir, abrir o coração, porque é o próprio Deus que nos fala e não pensar noutras coisas nem falar de outras coisas».

A este propósito Francisco frisou também que são “proibidas” «a omissão de leituras ou a sua substituição com textos não bíblicos. Ouvi dizer que alguém, se há uma notícia, lê o jornal, porque é a notícia do dia. Não! A Palavra de Deus é a Palavra de Deus» e «substituir aquela Palavra com outras coisas empobrece e compromete o diálogo entre Deus e o seu povo em oração»

Audiência geral

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

19 de Outubro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS