Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Para o futuro do Ior

· O Papa confirma a sua missão ·

O Papa Francisco aprovou uma proposta sobre o futuro do Instituto para as Obras de Religião (Ior), confirmando a importância da sua missão para o bem da Igreja católica, da Santa Sé e do Estado da Cidade do Vaticano.

A proposta foi desenvolvida conjuntamente por representantes da Pontifícia comissão de referência sobre o Ior (Crior), da Pontifícia comissão de referência de estudo e de orientação sobre a organização da estrutura económico-administrativa da Santa Sé (Cosea), da Comissão cardinalícia de vigilância e do Conselho de superintendência do Ior. E foi apresentada ao Santo Padre pelo cardeal George Pell, prefeito da Secretaria para a economia, com o consenso do cardeal Santos Abril y Castelló, presidente da Comissão cardinalícia de vigilância do Ior. Esta proposta foi definida baseando-se em informações sobre o status legal do Instituto e sobre a actividade desempenhada, informações recolhidas e apresentadas ao Papa e ao seu Conselho de cardeais pela Crior em Fevereiro de 2014.

O Ior continuará a servir com atenção e a fornecer serviços financeiros especializados à Igreja católica em todo o mundo. Os significativos serviços que podem ser oferecidos pelo Instituto assistem o Santo Padre na sua missão de pastor universal e apoiam também instituições e indivíduos que colaboram com ele no seu ministério.

Com a confirmação da missão do Ior e dando continuidade ao pedido do cardeal prefeito Pell, o presidente do Conselho de superintendência, Ernst von Freyberg, e o management do Ior terminarão o seu plano a fim de garantir que o Instituto possa cumprir a sua missão como parte das novas estruturas financeiras da Santa Sé e do Estado da Cidade do Vaticano. O plano será apresentado ao Conselho dos cardeais e ao Conselho para a economia.

As actividades do Ior continuarão a estar sob a supervisão regulamentar da Autoridade de informação financeira (Aif), competente no âmbito da Santa Sé e do Estado da Cidade do Vaticano. Em conformidade com os motu proprio de 8 de Agosto de 2013 e de 15 de Novembro de 2013, e com a lei número XVIII sobre a transparência, supervisão e informação financeira, que entrou em vigor a 8 de Outubro de 2013, foi introduzida uma ampla e articulada estrutura legal e institucional finalizada a regular as actividades financeiras no âmbito da Santa Sé e do Estado da Cidade do Vaticano. A este propósito, o cardeal Pell confirmou a importância de um alinhamento sustentável e sistemático das estruturas legais e normativas da Santa Sé e do Estado da Cidade do Vaticano com as best practices regulamentares internacionais. Uma eficaz supervisão regulamentar e os progressos alcançados na compliance, transparência e operacionalidade iniciados em 2012 e sensivelmente acelerados em 2013, são fundamentais para o futuro do Instituto.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

20 de Outubro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS